‘GloboNews Documento’ mostra o primeiro genocídio do século XX

 

Neste sábado, dia 23, a GloboNews exibe um programa especial sobre o primeiro genocídio do século XX. A repórter Leila Sterenberg vai à Namíbia para contar no 'GloboNews Documento' o extermínio dos povos Herero e Nama pelos alemães, crime que parece esquecido pela história mundial. Cometido entre 1904 e 1908 na Namíbia, à época colônia alemã, o genocídio teve a chancela do poder imperial, mas acabou se tornando uma verdade inconveniente demais no período em que a região foi dominada pela África do Sul, depois da Primeira Guerra Mundial.

 

Leila Sterenberg vai a um terreno descampado na cidade de Lüderitz e visita uma cova coletiva. Não há como precisar quantos corpos estão enterrados ali. Estima-se que pelo menos 10 mil pessoas da etnia Nama foram mortas na guerra contra os alemães colonizadores e nos campos de concentração e extermínio. "Eu tinha lido que era possível ver ossos saindo do chão em alguns locais. Mas não achei que fosse, de fato, encontrar restos mortais de pessoas que foram enterradas em covas coletivas há mais de 100 anos", surpreende-se a repórter.

 

Mais de um século depois, o drama ainda está vivo: na Alemanha, deputados querem que o governo reconheça oficialmente que cometeu um genocídio e faça as compensações devidas. No país africano, os descendentes de sobreviventes têm que decidir, por exemplo, o que fazer com crânios que haviam sido enviados a Berlim para supostas experiências científicas e que agora retornam à Namíbia. "Crânios e esqueletos usados em pesquisas estão sendo mandados de volta por universidades alemãs. Com algum empenho e um tanto de sorte, conseguimos ter acesso ao local em que o material está guardado, no Museu Nacional da Namíbia. E foi duro, para dizer o mínimo: fui às lágrimas com o crânio de um bebê", lembra Leila Sterenberg.

 

A Namíbia só conquistou sua independência em 1990 e hoje, 110 anos depois do extermínio, tenta se tornar uma democracia em todos os sentidos – inclusive racial. Para os historiadores, diversos elementos usados pela Alemanha nesta "guerra" colonial foram empregados décadas depois pelo regime nazista. Eles consideram a Namíbia um caso ímpar entre as chamadas colônias de povoamento: em várias partes do mundo houve populações dizimadas, mas na Namíbia as mortes não foram mero resultado de embates com colonos ou epidemias.

 

O 'GloboNews Documento vai ao ar na GloboNews, dia 23, às 21h05

 

Foto: A repórter Leila Sterenbeg em Lüderitz, Namibia, no local que foi uma cova coletiva no começo do século XX.

Crédito: Divulgação/GloboNews

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

​NOVA SAFRA DE “UMA MULHER DE PESO” NO TLC SEGUE WHITNEY THORE EM FASE CRÍTICA DA CARREIRA E NA VIDA PESSOAL

DUPLA DÁ VIDA NOVA A CASAS ABANDONADAS NA SÉRIE “ALISON E DONOVAN: REFORMANDO COM ESTILO”

​EM SAFRA INÉDITA NO TLC, “OS BUSBYS + 5” VIAJAM A NOVA YORK E APOSTAM EM NOVO NEGÓCIO