ANIMAL PLANET DOCUMENTA TRABALHOS EM CENTRO DE RESGATE E SALVAMENTO DE PINGUINS

 
 
 Equipe formada por veterinários e voluntários tenta conter ameaça de extinção de espécie nativa da África do Sul
 
 

Eles são graciosos, conquistam corações com o jeito trôpego, mas além da fofura existe uma grave ameaça: os pinguins sul-africanos correm risco de extinção e precisam de ajuda para continuarem a existir.

A partir de domingo, 12 de março, às 22h20, o Animal Planet documenta os esforços empreendidos pela SANCCOB  (Southern African Foundation for the Conservation of Coastal Birds – Fundação Sul-Africana de Proteção a Aves Costeiras, em tradução livre), organização que acolhe e recupera centenas de aves por ano, com a estreia da série A VIDA ENTRE PINGUINS (Meet the Penguins).

Em oito episódios de meia hora, sendo dois exibidos em sequência, a atração registra a rotina de veterinários e voluntários que trabalham para reverterem a situação alarmante dos pinguins nativos da África do Sul: em apenas 100 anos, a população da espécie teve queda de mais de 90%, em razão do desiquilíbrio ambiental que anulou os limites entre os habitats de pinguins selvagens e as cidades.

A SANCCOB  atua em diversas frentes: resgate de animais adultos, filhotes e ovos, recuperação de animais feridos, e cuidados permanentes com aqueles que moram na Fundação. Todos no centro de resgate estão a postos para emergências que acontecem a qualquer hora: cirurgias, exames sofisticados e até brigas que eventualmente acontecem entre os animais. O atenção é ininterrupta.

Entre as atividades da Fundação estão as rondas feitas por guardiões: três vezes por semana, equipes percorrem as áreas urbanas normalmente escolhidas por pinguins para seus ninhos e recolhem os animais – adultos são levados a locais seguros; filhotes e feridos vão para o abrigo. Com a perda dohabitat, pinguins fazem ninhos em locais perigosos, como beira de estradas e quintais de residências; não é raro que sejam atacados por animais domésticos ou atropelados.

As aves feridas recebem cuidados até que o estado geral de saúde melhore e elas estejam aptas para viver novamente na natureza. Aquelas que não podem voltar ao mar, por causa de sequelas de ferimentos graves que as tornam dependentes de humanos, passam a morar na sede da SANCCOB e ajudam a chocar os ovos resgatados.

No primeiro episódio, a equipe se mobiliza para salvar um animal que está coberto por petróleo. É o jovem Slippy que, com poucos meses de vida, provavelmente nadou na área portuária – o petróleo danifica a capa impermeável das plumas e Slippy corre o risco de morrer de hipotermia enquanto tenta buscar alimento nas águas frias, ou de fome. Os veterinários precisam agir rápido, retirando todo o resíduo da pele do pinguim, antes que o quadro seja irreversível.

Enquanto isso, no abrigo, é janeiro, o meio da temporada de reprodução,  e muitos filhotinhos precisam de cuidados especiais. Ovos resgatados são colocados em ninhos de casais que moram na SANCCOB – eles se transformarão em pais adotivos do filhote. Para chocar, os casais de pinguins adultos precisam passar por um teste feito com um ovo falso.

Winston e Kya são moradores permanentes do abrigo. Eles dão sinais de que estão preparados para chocar – Winston procura gravetos para fazer um ninho confortável para sua companheira (pinguins podem ficar com o mesmo par por toda a vida). Se os dois não passarem no teste, terão de praticar por mais um tempo. A equipe dos guardiões resgata um filhote em condições críticas e o leva para o abrigo onde os bebês recebem alimentação de três em três horas.

SERVIÇO

A VIDA ENTRE PINGUINS (Meet the Penguins)

Estreia: domingo, 12 de março, às 22h20

Classificação indicativa: Livre

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

Canal Gloob lança ovo de Páscoa de “Miraculous – As Aventuras de Ladybug”

MEGAPIX - Destaques de 13 a 19 de março