Grandes intelectuais analisam o mundo contemporâneo na série inédita Incertezas Críticas da GRIFA FILMES Segundo episódio, com Axel Honneth, vai ao ar dia 4 de maio, às 23h30, no Canal Curta!


Axel Honneth, um dos maiores pensadores alemães, está no segundo episódio
da série Incertezas Críticas, com Direção Geral do cineasta Daniel Augusto 

Os entrevistados dos próximos programas são Jacques Rancière, Jean-Luc Nancy,
Georges Didi-Huberman, Elisabeth Roudinesco, Jonathan Crary, Luc Ferry, Tzvetan Todorov,
Antoine Compagnon, Hal Foster, Christian Boltanski e Andreas Huyssen .

No ar às quintas–feiras, às 23h30, no canal CURTA!

 


 

Nesta quinta-feira, 04 de Maio, às 23h30, estreia no Canal Curta! o segundo episódio da segunda temporada inédita de Incertezas Críticas. A série é uma produção da GRIFA FILMES, com direção, roteiro e entrevistas do cineasta Daniel Augusto, direção de fotografia de Rodrigo Menck, produção executiva de Fernando Dias e Maurício Dias e produção de Kênya Zanatta. No ar semanalmente, em 13 programas, Incertezas Críticas tem o objetivo de apresentar questões contemporâneas relevantes sobre arte, política, literatura, economia, relações internacionais, sociedade e história e permitir ao telespectador entrar em contato com o trabalho dos principais pensadores da atualidade. 

Neste segundo episódio, o entrevistado é Axel Honneth, pensador alemão, explica porque enxerga o conflito como um elemento presente em todas as sociedades, entre outros conceitos que criou. Honneth é autor do livro Luta por reconhecimento, lançado no Brasil em 2003, e diretor do Instituto para Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt, local de nascimento da chamada Escola de Frankfurt. Este programa tem reapresentações na sexta-feira, 5 de maio, às 17h30; sábado, 6 de maio, às 20h30; e domingo, 7 de maio, às 8h30.

Os convidados das próximas semanas são: Jacques Rancière- Filósofo francês nascido na Argélia; Jean-Luc Nancy- Filósofo Francês; Georges Didi-Huberman- Historiador e filósofo francês; Elisabeth Roudinesco- Pensadora e historiadora da psicanálise francesa; Jonathan Crary- Professor norte-americano da Columbia University, em Nova York.; Luc Ferry- Filósofo francês e autor de diversos best-sellers, foi Ministro da Educação da França; Tzvetan Todorov (1939-2017)- Historiador nascido na Bulgária, que viveu radicado na França; Antoine Compagnon- Professor belga no Collège de France, em Paris, e na Columbia University, em Nova York.; Hal Foster- O crítico e historiador de arte norte-americano é professor na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos; Christian Boltanski- Francês, considerado um dos mais importantes artistas do mundo hoje e Andreas Huyssen- Professor alemão de literatura na Columbia University.

 

Segundo episódio- Axel Honneth- Quinta-feira, 4 de maio  às 23h30

Reapresentações:

Sexta-feira, 5 de maio, às 17h30;

Sábado, 6 de maio, às 20h30;

Domingo, 7 de maio, às 8h30.

 

Axel Honneth é a figura mais destacada do que pode ser chamada a "terceira geração" da Escola de Frankfurt. Nascido em Essen, em 1949, Honneth é sociólogo, filósofo e diretor do Instituto para Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt, instituição que reuniu um círculo de pensadores fundamentais, como Theodor Adorno, Max Horkheimer e Walter Benjamin. Também é professor de Filosofia Social na mesma Universidade e Professor da Columbia University.

Das suas obras publicadas em português, o destaque fica para Luta por reconhecimento - A Gramática Moral dos Conflitos Sociais (2003) e Sofrimento de indeterminação: Uma reatualização da filosofia do direito de Hegel (2007). O trabalho de Honneth concentra-se em filosofia social, política e moral.

Axel Honnet coloca a falta de reconhecimento na base dos conflitos interpessoais e sociais. Segundo ele, "não se pode conceber uma sociedade completamente harmoniosa, pois os conflitos indicam que alguma coisa está errada e que algo precisa ser feito". Para ele, estes conflitos não são expressões apenas de egocentrismo, mas de uma sensação de não fazer parte do grupo. "O motivo da maioria dos conflitos é a busca pelo reconhecimento ou pela inclusão na sociedade". Esta temática domina a maior parte do episódio, além de reflexões acerca do conceito de liberdade. 

 

Episódio 3 - Jacques Rancière

Jacques Rancière é um dos filósofos mais importantes do mundo atual. Nascido na Argélia, vive e trabalha em Paris, onde deu um depoimento para esta série sobre seus trabalhos mais recentes. Ele traça um breve histórico da arte desde o século XVIII e fala sobre a relação entre arte, cinema e política.

 

Episódio 4 - Jean-Luc Nancy

Jean-Luc Nancy é um dos principais filósofos franceses em atividade. Autor de uma bibliografia extensa, ele concedeu um depoimento em Estrasburgo para explicar como a filosofia pode nos ajudar a compreender a vida, a arte e o amor no mundo contemporâneo.

 

Episódio 5 - Georges Didi-Huberman

O francês Georges Didi-Huberman é historiador e filósofo. Autor de mais de 30 livros, ele é professor e um dos mais importantes pensadores sobre a arte hoje. Em sua casa em Paris, ele discorre sobre arte e psicanálise, história da arte e arte contemporânea, reflete sobre a relação entre arte e capitalismo e define o que é ser radical na arte contemporânea. 

 

Episódio 6 - Elisabeth Roudinesco

Elisabeth Roudinesco é uma das principais pensadoras e historiadoras da psicanálise hoje. Neste programa gravado em seu apartamento em paris, ela fala sobre sua iniciação na psicanálise e seus estudos biográficos sobre Freud e Lacan, além de comparar as trajetórias dos dois grandes nomes da psicanálise

 

Episódio 7 - Jonathan Crary

Jonathan Crary é professor da Columbia University, em Nova York. Autor de diversos estudos, ele explica neste programa como hoje a economia exige que trabalhemos 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem parar nem para dormir. Jonathan Crary discorre ainda sobre o  sonho americano, as origens históricas do poder destrutivo da economia atual e a Internet.

 

Episódio 8 - Luc Ferry

Luc Ferry é filósofo e autor de diversos best-sellers, como Aprender a viver e A Revolução do Amor. Entre 2002 e 2004, foi Ministro da Educação da França, e hoje se apresenta como um dos principais defensores do Humanismo Secular.  Em sua casa em Paris, ele fala sobre filosofia, tecnologia e o mundo contemporâneo, os poderes de inovação e destruição do capitalismo e o quanto a ideia de tragédia é fundamental para compreender o mundo contemporâneo.

 

Episódio 9 - Tzvetan Todorov (1939-2017)

O historiador das ideias Tzvetan Todorov nasceu na Bulgária, mas viveu na França mais de 50 anos até falecer no início de 2017. Autor de uma bibliografia diversificada, ele concedeu uma entrevista para este programa em seu apartamento de Paris para falar sobre sua trajetória, sobre política, literatura e arte e sobre os inimigos da liberdade e da democracia no mundo contemporâneo.

 

Episódio 10 - Antoine Compagnon

Antoine Compagnon é professor no Collège de France, em Paris, e na Columbia University, em Nova York. Autor de diversos livros de história e crítica literária, ele fala neste programa sobre sua paixão pela literatura, a importância da escrita e alguns autores fundamentais, como Proust e Montaigne. Além disso, ele discorre sobre as propostas da literatura no novo milênio e sobre o prazer de ensinar. 

 

Episódio 11 - Hal Foster

O crítico e historiador da arte Hal Foster é professor na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos. Autor de diversos livros, ele recebeu o programa em sua casa para falar de arte contemporânea, da relação entre arte e conhecimento e das características da arte na sociedade do espetáculo.

 

Episódio 12 - Christian Boltanski

O francês Christian Boltanski é um dos mais importantes artistas do mundo hoje, com obras marcantes na Documenta de Kassel, na Bienal de Veneza e no Grand Palais de Paris, entre outros. No seu ateliê em Malakoff, ele fala sobre sua trajetória, seu processo criativo, o papel da memória em suas obras e o trauma do Holocausto. Ainda neste programa, Boltanski dá sua visão sobre o que é ter uma ideia na arte, conta sobre a venda do direito de gravar 24 horas por dia seu ateliê e explica alguns dos temas principais de sua obra.

 

Episódio 13 - Andreas Huyssen

O alemão Andreas Huyssen é professor de literatura na Columbia University, em nova York. Neste programa, gravado em seu escritório na universidade, ele fala sobre a relação entre memória, história e trauma. Outros temas abordados são a diferença entre modernidade e modernismo e os limites da representação na arte. 

--
Line-UP - Divulgação de Programação e Distribuição de Canais de TV.
http://www.lineup.net.br
http://blog.lineup.net.br
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

REPÓRTER POLICIAL REVELA INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE CASOS DE GRANDE REPERCUSSÃO

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

GNT começa 2017 com documentários inéditos