Toninho Horta e Orquestra Fantasma participam de programas inéditos no SescTV

 
Documentário e show com os artistas homenageiam os 35 anos da orquestra. Dia 1/10, domingo, a partir das 21h


Foto: Piu Dip.
 
Considerado um dos mais importantes guitarristas de jazz do mundo, o músico, compositor, arranjador e produtor musical Toninho Horta e a Orquestra Fantasma, que o acompanha há 35 anos, são atrações de documentário da série Passagem de Som e de show da série Instrumental Sesc Brasil. Inéditos, os programas estreiam no SescTV, no dia 1/10, domingo, a partir das 21h, com reapresentações nos dias 2, segunda, às 16h30; 3, terça, às 9h30, 4, quarta, às 11h; 5, quinta, às 13h; e 7, sábado, às 14h (assista também online em sesctv.org.br/avivo). 
 
Nascido em Belo Horizonte – MG, em 1948, Horta iniciou sua trajetória musical em meados dos anos 1960. No Passagem de Som, ele lembra que, acompanhava a cantora Gal Costa, quando sofreu uma decepção amorosa que o levou a escrever Beijo Partido, música que o consagrou como compositor em 1975. Mas esta não foi sua primeira composição, ele tinha 13 anos de idade quando escreveu Flor que Cheira Saudade.
 
Com mais de 50 anos de carreira e participação em mais de 300 álbuns, o guitarrista lançou recentemente seu primeiro sangbook, livro impresso com partituras de 108 de suas canções. "É um material muito esperado. Boa parte da história da música brasileira está dentro dessas canções", fala Marco Antonio Sousa, um dos proprietários da Blue Note, especializada nesse tipo de publicação.
 
No centro da capital paulista, Horta se encontra com a cantora e compositora Alaíde Costa, que participou, em 1972, do primeiro álbum do Clube da Esquina, que tinha Milton Nascimento e Lô Borges como líderes e Toninho Horta como violonista. O disco foi resultado do movimento musical de mesmo nome, que surgiu em 1960, em Minas Gerais. Após 43 anos da gravação do disco, Alaíde e Horta gravaram mais um álbum juntos: Alegria é Guardada em Cofres, Catedrais, com canções do guitarrista e do clube. "Sempre a acompanhei à distância, mas quando a oportunidade surgiu, foi muito bacana. Parecia que a gente já se conhecia musicalmente", conta Horta sobre seu primeiro contato com a artista.
 
O documentário também contempla o ensaio do show de Toninho Horta e Orquestra Fantasma, que é exibido na sequência, na série Instrumental Sesc Brasil. O espetáculo comemora os 35 anos de carreira da orquestra, com repertório de clássicos do Clube da Esquina e sucessos e composições inéditas de Horta. 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

REPÓRTER POLICIAL REVELA INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE CASOS DE GRANDE REPERCUSSÃO

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

GNT começa 2017 com documentários inéditos