Alianza parabeniza a Polícia Federal pela Operação Satelles



Grupo que reúne programadoras, operadoras de TV por assinatura e provedores de tecnologia no combate a pirataria na América Latina, deu suporte na operação da PF deflagrada em setembro


Porto Alegre, 11 de outubro de 2017
 – A Alianza, que auxilia regularmente com as autoridades por meio de subsídios técnicos ou conhecimento sobre o setor, por meio de um dos seus membros colaborou inicialmente com a Polícia Federal na Operação Satelles, deflagrada em setembro em Porto Alegre. A ação contribuiu para combater o comércio ilegal de receptores de TV via satélite. São investigados os crimes de contrabando, lavagem de dinheiro, associação criminosa, sonegação fiscal e estelionato, com a obtenção irregular de acesso a sinais de TV paga.

A operação contou com o cumprimento de diversos mandados de prisão e de busca e apreensão em face dos grupos identificados, dois deles em Porto Alegre e um terceiro em Ciudad del Este, no Paraguai. Eles são apontados como responsáveis pela comercialização de mais de 90 mil receptores em todo o Brasil nos últimos cinco anos.

Ainda conforme a investigação, o grupo teria sido responsável pela movimentação de R$ 35 milhões em contas bancárias pessoais e de terceiros nos últimos cinco anos. A Justiça, ainda, determinou o bloqueio de tais contas bancárias e aplicações financeiras dos investigados, bem como dos endereços de internet que eram utilizados para a comercialização dos produtos contrabandeados.

A Alianza, que reúne os players da indústria de TV por assinatura em toda a América Latina, cria um sistema de colaboração mais amplo na luta contra essa modalidade de pirataria. Desde seu lançamento, foi responsável pela promoção de diversas ações de cumprimento da lei em todo o continente sul-americano, trabalhando no monitoramento da pirataria de "FTA" (Free-to-Air) e OVP (Online Video Piracy), na capacitação educacional acerca do tema, bem como, na promoção de campanhas.

"Essa operação representa uma grande vitória para a sociedade e para setor audiovisual. A perda econômica é alarmante, causando prejuízos sem precedentes ao país. Sem dúvida, a operação refletiu que a perseguição a esse tipo de ilícito representa um amadurecimento do atual sistema jurídico brasileiro", comemora Marta Ochoa, Diretora Executiva da Alianza e de Antipirataria da DIRECTV América Latina.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

REPÓRTER POLICIAL REVELA INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE CASOS DE GRANDE REPERCUSSÃO

Gloob lança mais uma maratona Gloob Duni Tê

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA