Gilson Peranzzetta e Wagner Tiso participam juntos de documentário e show que estreiam no SescTV

 
As atrações inéditas com os maestros e pianistas vão ao ar no dia 5/11, domingo, a partir das 21h


Foto: Piu Dip
 
Dois importantes maestros e pianistas, o carioca Gilson Peranzzetta e o mineiro Wagner Tiso, comemoram juntos seus 70 anos de vida, em dois programas inéditos, gravados em 2016, que o SescTV exibe no dia 5/11, domingo, a partir das 21h. No primeiro, um documentário da série Passagem de Som, os artistas lembram suas trajetórias na música e visitam a Orquestra de Heliópolis e o Masp – Museu de Arte de São Paulo, na capital paulista. Na sequência, em show da série Instrumental Sesc Brasil, tocam, ora em duo, ora separados, clássicos da MPB e composições próprias. As atrações têm direção geral de Max Alvim e podem ser assistidas também pela internet em sesctv.org.br.  
 
Peranzzetta começou a tocar piano aos 10 anos de idade e desde então vem construindo uma carreira notória, que já lhe rendeu vários elogios. Um destes partiu de Quincy Jones, importante produtor musical e arranjador no mundo, que citou o brasileiro entre seus quatro arranjadores preferidos. Os outros três são: os norte-americanos Duke Ellington e Ted Jones, e o canadense Gil Evans. O carioca já ganhou cinco prêmios da música brasileira e teve uma de suas composições como tema de uma série, que depois ganhou letra e foi gravada pela cantora norte-americana Sarah Vaughan.
 
 Wagner Tiso é um dos fundadores do grupo Som Imaginário - concebido, a princípio, para acompanhar o cantor Milton Nascimento em suas apresentações - e participou do movimento Clube da Esquina, criado nos anos de 1960, em Belo Horizonte – MG, que teve nomes como Milton Nascimento, Toninho Horta e Beto Guedes como integrantes. Possuindo um ambiente vasto na música, o artista se sente a vontade para variar no repertório, indo do jazz à MPB e do clássico ao flerte com o rock progressivo, sem perder suas particularidades. Seu currículo ainda conta com trilhas sonoras para cinema e canções famosas, como Coração de Estudante, que ficou conhecida na voz de Nascimento.
 
Com sucesso no Brasil e no exterior, Perranzzetta e Tiso acompanham, no Passagem de Som, o ensaio da Orquestra Sinfônica de Heliópolis,  projeto social, cujo objetivo é transformar a vida de crianças e jovens pobres, na capital paulista, e onde o pianista mineiro já fez show. "Foi um trabalho muito bom, trouxemos grandes artistas aqui", comenta Tiso. "Nós fizemos seis anos seguidos de diversos tipos de música popular orquestrada para esse tipo de orquestra", completa. Edilson Ventureli, maestro da orquestra, afirma que é preciso trabalhar pela democratização do acesso à cultura. Os pianistas visitam o Masp – Museu de Arte de São Paulo, onde, na década de 1980, eram realizados muitos shows instrumentais. "Eu lancei meu disco Coração de Estudante aqui", lembra o mineiro.  "O Masp tem uma importância fundamental para a música instrumental", revela o carioca, que também já tocou lá.  
 
O Passagem de Som traz depoimento dos Perranzzetta e Tiso sobre suas influências musicais, como Johann Sebastian Bach, da Alemanha, Bill Evans, dos Estados Unidos, Oscar Peterson, do Canadá, e Luiz Eça e o grupo Tamba Trio, do Rio de Janeiro, e mostra o ensaio do duo para o show da série Instrumental Sesc Brasil, exibido na sequência. No espetáculo, que foi gravado em setembro de 2016, no Sesc Consolação, na capital de São Paulo, os maestros tocam composições como Só Danço Samba e Garota de Ipanema, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes; Casa Forte, de Edu Lobo; Chorava, de Wagner Tiso; e Nós as Crianças, de Gilson Peranzzetta.  
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

REPÓRTER POLICIAL REVELA INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS SOBRE CASOS DE GRANDE REPERCUSSÃO

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

GNT começa 2017 com documentários inéditos