Apocaliptyca (São Paulo, Tropical Butantã, 26/11/2017)

Através do convite da Ultimate Music, tive a grande oportunidade de acompanhar na noite de 26 de novembro de 2017 mais uma apresentação de muita classe de um quarteto, ou podemos dizer quinteto de origem clássica tocando o mais belo Heavy metal.
Os finlandeses do Apocalyptica retornam às terras brasileiras com sua turnê comemorativa de vinte anos de lançamento do “Plays Metallica By Four Cellos”. A banda surgiu em 1993 com este álbum tocando apenas covers de Metallica em versões instrumentais tocadas com 4 Violoncelos, em álbuns seguintes tocando também versões de outras bandas de metal, até chegar a formação atual com baterista e incluindo músicas próprias no repertório.
A grande fila na porta do Tropical Butantã, demonstrou todo o prestígio do público para a banda. Com um setlist prometendo tocar somente e todas as músicas do “Plays Metallica By Four Cellos”, a banda apresentou Antero Manninen, substituindo Max Lilja, atualmente tocando com Tarja, completando assim os 4 Violoncelos do título do álbum homenageado. As 20:20 a banda sobe ao palco com uma trinca matadora de músicas do Metallica que levantou o público e fez toda a platéia no papel de James Hetfield: “Enter Sandman”, seguida de “Master Of Puppets” e “Harvester of Sorrow”. O uso das distorções nos Violoncelos faziam facilmente imaginar ouvindo uma guitarra típica de show de Heavy Metal.
O momento de maior emoção do público foi ao tocarem “The Unforgiven”, talvez a música mais conhecida do Metallica em terras tupiniquins. Lágrimas foram vistas por todo o público que com uma precisão cantavam junto com a banda fazendo parte da linda apresentação. Mais clássicos não poderiam faltar como “Sad But True”, “Creeping Death”, “Wherever I May Roam” e finalizando o primeiro set com “Welcome Home (Sanitarium)”, onde nos fez recordar com a maior gratidão o álbum homenageado na turnê.
Iniciando o segundo set, o quarteto de Violoncelos recomeça com “Fade To Black”, trazendo no meio da música Mikko Siren, em sua bateria poderosa trazendo ainda mais peso a apresentação. Músicas como “For Whom The Bell Tolls”, “Fight Fire With Fire”, “Battery” e “Seek and Destroy” tocadas com a bateria foram otima escolha da banda trazendo assim toda a precisão, distorção e peso que qualquer fã de Metallica, ou do puro Heavy metal poderia esperar. A banda ainda tocou a música “Orion”, dificilmente tocada até em apresentações do próprio Metallica.
Pegando o público de surpresa, a banda fugiu um pouco ao setlist fazendo uma grande homenagem ao nosso país tocando um “Refuse/Resist” do Sepultura, música já presente no segundo álbum da banda. Não é preciso citar que o público cantou de forma muito alta e precisa um dos clássicos dos nossos representantes do Trash Metal.
Após mais uma pausa, a banda retorna ao palco para o Bis (ou Encore, como preferirem) para finalizar o show com chave de ouro. Novos momentos de emoções com as músicas “Nothing Else Matters” e “One” finalizaram o show deixando o público com vontade de mais apresentações da banda no Brasil. O Brasil recebeu muito bem e aguarda um breve retorno da banda, quem sabe agora com suas músicas autorais junto ao setlist.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho