CHAPLIN: 40 ANOS DE SAUDADE E 16 HORAS DE PROGRAMAÇÃO


Os fãs de um dos maiores ícones do cinema podem comemorar. O dia 25 de dezembro será dedicado a Charles Chaplin, no Telecine Cult, com mais de 16 horas de programação, em homenagem às quatro décadas da morte do britânico. Ao todo, a maratona traz doze produções atuadas e dirigidas por ele: A Revista de Carlitos, O Circo, Idílio Campestre, Em Busca do Ouro, Os Clássicos Vadios, Luzes da Cidade, O Garoto, Dia de Pagamento, O Grande Ditador, Tempos Modernos e Luzes da Ribalta. O legado de Chaplin se estende ao Telecine Play, que já disponibiliza os títulos.

A homenagem começa às 10h, com A Revista de Carlitos, que retrata três histórias - cheias de humor - protagonizadas por Chaplin. Em seguida, 12h05, o canal lembra o clássico de 1928, O Circo. Na trama, Vagabundo é confundido com um ladrão e invade um circo local para despistar a polícia. A produção rendeu a Chaplin um Oscar honorário em reconhecimento ao seu trabalho. Às 13h30, vai ao ar o curta Idílio Campestre, que aborda a paixão platônica de Carlitos (Chaplin) pela jovem interpretada por Edna Purviance.

O "Especial 40 Anos Sem Charles Chaplin" continua às 14h10, com a comédia Em Busca do Ouro, filme pelo qual o astro admitiu que gostaria de ser lembrado. Ambientada no Alasca, durante a Corrida do Ouro, em 1898, a produção concorreu a duas estatuetas do Oscar de 1925, com Chaplin no papel de Carlitos e na direção. Às 15h35 tem a estreia do curta Os Clássicos Vadios, onde Carlitos se mete em mais confusões: desta vez, acaba em uma festa à fantasia para fugir de policiais.

Em seguida, às 16h20, Chaplin contracena com Virginia Cherrill e Harry Myers em Luzes da Cidade, uma das mais aclamadas obras de sua carreira. Na comédia dramática, a paixão de Vagabundo por uma bela florista cega (Virginia Cherrill) dá origem a uma das cenas mais sensíveis do cinema mudo: quando o personagem compra flores com a moça. Paralelamente, ele salva a vida de um milionário bêbado, decidido a se matar. Na estreia do filme, Chaplin recebeu Albert Einstein como um de seus convidados especiais no evento de lançamento em Los Angeles.

O clássico das 18h é O Garoto. Sem condições para cuidar do seu bebê recém-nascido (Jackie Coogan), uma mulher (Edna Purviance) solteira abandona a criança em um hospital de caridade. O destino da criança cruza com o do Vagabundo e mostra o estreitamento de laços afetivos entre os dois. A programação continua com a estreia do curta Dia de Pagamento, às 19h05, seguido pelo maior sucesso de bilheteria da carreira do homenageado: o longa O Grande Ditador, destaque às 19h40. Indicado a cinco categorias no Oscar, o filme é o primeiro inteiramente falado e sonorizado feito por Chaplin.

A noite não para por aí. Às 22h, o Telecine Cult exibe o último filme mudo do artista: Tempos Modernos. Mesclando humor e crítica social, o longa retrata a vida urbana nos Estados Unidos após a crise de 1929. Além de atuar e dirigir, Chaplin compôs todas as canções do filme. Já Luzes da Ribalta tem espaço garantido às 23h40 na programação. O filme é o único que une Chaplin a outro grande astro do cinema mudo: Buster Keaton. A trama se passa em 1914, em Londres, e traz Chaplin na pele de Calvero, um palhaço decadente e alcoólatra, que fizera sucesso no passado e não consegue se acostumar com o atual anonimato, encontrando o consolo na bebida. Relançada nos Estados Unidos 20 anos depois de sua estreia, a produção só pode concorrer ao Oscar em 1972, quando venceu por sua trilha sonora. O curta Um Dia Bem Passadofecha a sessão à 2h10. Uma das curiosidades da produção é que o escritório de Chaplin serviu como locações.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

“Tá Na Hora do Café”: Mais Globosat estreia série sobre o universo do Café no Brasil

NZN lista os filmes mais aguardados de maio