Na reta final do “Exathlon Brasil”, competidores enfrentam prova que vale festa

 

Quatro dos seis finalistas irão comer aperitivos e dançar em uma balada

 

São Paulo, 12 de dezembro de 2017 – Clima muito tenso no Exathon Brasil antes da grande final, que será realizada nesta sexta-feira (15). Para quebrar um pouco a tensão e aliviar ânimo dos seis participantes, os competidores disputarão uma festa no novo circuito azul no programa desta terça-feira às 20h20.

Os dois vencedores do Desafio Bônus terão a oportunidade de chamar mais duas pessoas para curtirem uma balada com muitos aperitivos.

"Eu gosto de festa, eu vou curtir e estou amarradão. Se der certo, vai ser bom e vou dar uma relaxada", disse o surfista Pedro Scooby, que tem sido um dos melhores pontuadores na fase individual. "Um momento como esse traz energia e um gás extra para à final", garantiu o patinador Marcel Stürmer.

"Meus amigos sabem que eu adoro uma festa. A gente sempre comenta que poderia ter uma festa aqui. Esse é um momento para relaxar, mas quando acabar esse momento [a festa], entra em foco de novo", afirmou a jogadora de futebol Alline Calandrini.

O novo circuito azul consiste em passar uma argola por meio de uma corda enquanto enfrenta diversos obstáculos. No meio do circuito há um quebra-cabeça, assim como no final. Vence quem chegar a mais pontos possíveis dentre 15 batalhas.

 

Decepcionada com Pedro Scooby, Ana Tapajós é eliminada

Ana Tapajós foi a primeira integrante do time dos Heróis a deixar o Exathlon Brasil após a união com o time dos Guerreiros nesta reta final. A apresentadora disputou a preferência do público contra a jogadora de futebol Alline Calandrini e a campeã olímpica Maurren Maggi no programa desta segunda-feira, dia 11.

"Quero agradecer a todo mundo que votou em mim, que se identificou comigo ou com meu jeito de alguma forma. Eu estou muito feliz. Essa experiência foi maravilhosa e uma das mais incríveis que eu já vivi. Eu me conectei com a minha essência, à natureza. Eu me redescobri e consegui colocar em prática muitas coisas que eu estava aprendendo", disse Ana.

"Todas as vezes que eu errei, eu errei tentando acertar. Perdoei e fui perdoada. Chorei, vivi, fui com toda a garra, com toda a força em todas as batalhas. Estou muito grata e está tudo certo. As coisas acontecem da forma que têm de acontecer. Estou ansiosa para voltar ao mundo, voltar à realidade e voltar para minha família", completou.

Após sofrer um estresse pós-traumático, a apresentadora redescobriu no Exathlon Brasil uma paixão nova pela vida. "Eu percebi uma mudança dentro de mim. Eu já tinha vivido muita coisa, já tinha viajado o mundo, mas eu estava meio apática. Eu não estava mais amando a minha vida como eu sempre amei, como as pessoas normais amam. Vim para cá pela oportunidade de viver uma experiência e ganhar um grande prêmio, mas se tornou algo muito maior que isso", explicou.

"Aqui eu pude reacender a paixão pela vida. Voltei a ter sede de viver e voltei a amar minha rotina. Aos poucos, eu fui aprendendo a valorizar. Fez parte de um processo para mim que foi muito incrível, maravilhoso. Valorizei muito a minha família, valorizei muito o meu dia a dia, a minha privacidade, a minha liberdade. As coisas mínimas e os mínimos detalhes. Não me arrependo de nada e acho que tudo foi como deveria ser. Sou muito grata as pessoas que conheci, as amizades que criei e os momentos que eu vivi", disse ainda.

Questionada se havia saído chateada com Pedro Scooby, seu melhor amigo no reality show, após ter brigado com ele no circuito cinza e na Arena Exathlon, Ana disse que sim. "A gente sempre brincava que a nossa amizade era um milagre porque a gente pensa muito diferente, mas a gente se adora. Eu sou muito grata a todos os momentos que a gente viveu juntos e, justamente, a nossa briga foi por uma decepção que eu tive com ele. Eu achava que o Scooby seria mais amigo do que ele foi, mas era uma besteira, um estresse de prova. E aí, no final, ele nem veio se despedir de mim. Eu fiquei chateada, mas ele é assim", contou.

"Se ele quiser vir conversar comigo, eu vou conversar. Acho que não precisava tanto, ele poderia ter vindo se despedir de mim como todo mundo. Estaria tudo certo. Mas é isso, é o Scooby. Ele é sempre o dono da razão. Eu o amo do mesmo jeito. A gente mora perto no Rio e a gente vai ser amigo, com certeza. Nossa amizade transcendeu para irmandade e aí, quando vira irmão, ferrou. É um caso de amor e ódio, que briga por tudo", explicou.

"Eu não tenho mágoa dele, mas fiquei chateada. Fiquei decepcionada porque eu queria que ele tivesse sido imparcial e ele torceu para outra pessoa, não para mim. Somos amigo a 'mó tempão', fizemos tudo juntos, passamos por todos os perrengues juntos e chega outra pessoa, um Guerreiro, e ele ajuda um Guerreiro e não me ajuda? Não era para ter sido tão sério, mas no final ele não veio nem se despedir de mim. Acredito que, pelo que eu conheço dele, que ele vai sentir isso e, quando ele sair, a gente conversa", completou.

"Continuo torcendo por ele e torço para a Alline [Calandrini]. Eu espero que uma mulher vença porque é muito difícil uma mulher vencer um programa desse de resistência. As provas sempre foram mais fáceis para os homens, por mais que neutralize ali no final. Acredito que se uma mulher vencer e vai ser incrível. A Maurren [Maggi] e a Alline são duas mulheres que são muito boas e eu tenho certeza de que elas podem representar. Imagina? O primeiro Exathlon Brasil sendo vencido por uma mulher?", questionou.

 

Exathon Brasil é um formato da Acun Medya. O programa vai ao ar de segunda a sexta, às 20h20, logo após o Jornal da Band e às quintas-feiras às 22h30.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

​EM SAFRA INÉDITA NO TLC, “OS BUSBYS + 5” VIAJAM A NOVA YORK E APOSTAM EM NOVO NEGÓCIO

​NOVA SAFRA DE “UMA MULHER DE PESO” NO TLC SEGUE WHITNEY THORE EM FASE CRÍTICA DA CARREIRA E NA VIDA PESSOAL

Série Rotas do Ódio estará com acesso livre no Universal Channel Play nesta semana