“Cineastas do Real” traz entrevistas com grandes nomes do cinema documental

cineastas jorge furtado


Amir Labaki assina direção, roteiro, produção e apresentação da atração do Canal Brasil
Na próxima quarta, dia 10, estreia no Canal Brasil a nova temporada do "Cineastas do Real", que traz o jornalista, cineasta e escritor Amir Labaki entrevistando os maiores ícones do gênero. Durante a conversa, ele investiga as motivações e vasculha os detalhes da filmografia de cada realizador. O primeiro convidado de Labaki – responsável pela direção, roteiro, produção e apresentação - é Jorge Furtado, que lançou seu primeiro documentário curta-metragem "Ilha das Flores", em 1989, e coleciona diversos trabalhos na TV e no cinema.

Logo no início do bate-papo, Furtado fala sobre a responsabilidade que é dirigir filmes que retratam a vida das pessoas e explica a principal diferença entre ficção e documentário: "Você entra na vida das pessoas, às vezes, sem autorização. No momento em que eu sento na sua frente, você me faz uma pergunta e está gravando, você tem um poder sobre mim incrível porque pode editar tudo. É uma relação de confiança do documentado e do documentarista que se estabelece e nem sempre é bem usada. Você entrega suas palavras, a sua imagem para alguém que vai usar aquilo como quiser. Nesse sentido, a ficção é um jogo mais limpo porque os atores leram o roteiro, todo mundo sabe o que está acontecendo. No documentário, a gente nunca sabe o que vai acontecer. A diferença entre um documentário e uma ficção não é estética, mas ética. É uma grande responsabilidade pegar a vida de alguém, recortar e dizer: 'essa é a pessoa'".

 A seleção escolhida por Amir Labaki para o programa traz grandes cineastas da história do nosso cinema de realidade. Cao Guimarães comenta detalhes de aclamadas produções como "Ex-Isto" (2010), "Elvira Lorelay – Alma de Dragão" (2012) e "Otto" (2012). Maria Augusta Ramos resgata a trilogia sobre o sistema judicial brasileiro em filmes como "Justiça" (2004), "Juízo" (2008) e "Morro dos Prazeres" (2013), além de comentar a influência de sua formação como musicista em seu cinema; e Zelito Viana narra sua vasta trajetória na sétima arte lembrando os trabalhos ao lado de Glauber Rocha e a convivência com Eduardo Coutinho. A atração traz ainda entrevistas com Vincent Carelli, Lucia Murat, Joel Pizzini e Eryk Rocha.

Para complementar e enriquecer a experiência do assinante, após a exibição no horário alternativo de terça-feira, às 13h30, o Canal Brasil exibe, na sequência, um filme assinado pelo realizador entrevistado no episódio recém-terminado.

Amir Labaki é fundador e diretor do "É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários". Foi diretor técnico do Museu da Imagem e do Som da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo e membro do rol de críticos do "Festival Internacional de Documentários de Amsterdã" (Holanda), o principal evento mundial dedicado ao gênero. Desde 2004, apresenta a faixa de documentários É Tudo Verdade, no Canal Brasil.
 
Cineastas do Real

INÉDITO E EXCLUSIVO
Estreia – Quarta, dia 10 de janeiro, às 21h.
Horário alternativo: Sábado, às 16h30, e terça, às 13h30.
Classificação: livre
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho