Reclamações dos serviços de telecom caem 17,5% em janeiro


 

Em janeiro deste ano foi registrado um total de 270,7 mil reclamações de usuários contra prestadoras dos serviços de banda larga fixa, de telefonia móvel, de telefonia fixa e de TV por Assinatura na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), redução de 57,5 mil queixas (-17,5%) quando comparado com o mesmo janeiro do ano passado. A telefonia móvel apresentou queda de 34 mil reclamações (-21,3%), seguida da telefonia fixa com redução 12,6 mil queixas (-16,9%), da banda larga fixa com diminuição de 7,7 mil reclamações (-15%), e da TV por Assinatura com menos 3,7 mil queixas (-9%).

Empresas

Na telefonia móvel e na telefonia fixa quase todos os grupos acompanhados individualmente pela Anatel apresentaram redução nas reclamações em janeiro deste ano quando comparado com o mesmo mês de 2017 com exceção da TIM que registrou pequeno aumento. Na telefonia móvel, a Vivo com 19,5 mil reclamações a menos teve a maior redução de queixas (-43,5%), seguida pela Nextel com menos 4,8 mil (-43,2%), Claro com diminuição de 7,4 mil (-22,9 %), Oi com redução de 2,7 mil (-13,7%), e a TIM registrou com um aumento de 500 reclamações (+0,9%). Na telefonia fixa, a Oi registrou 7,6 mil reclamações a menos (-19%), seguida da Vivo com redução de 4,1 mil (-17,4%) e da NET com menos 1.300 reclamações (-14,5%).

Nos grupos acompanhados individualmente pela Anatel na TV por Assinatura, a Sky com acréscimo de 1,6 mil reclamações (+12,7 %) foi o único grupo que registrou aumento em janeiro de 2018 em relação ao mesmo mês do ano passado. No entanto, apesar de o Grupo NET/Claro ter registrado 3,2 mil reclamações a menos (-15,7%), separadamente a NET registrou aumento de 700 queixas (-4,8%) e a Claro redução de 2,5 mil reclamações (-37,4 %). A Oi teve menos 1,8 mil queixas (-37,1%) e a Vivo menos 300 reclamações (-8,8%).

Na comparação entre janeiro de 2018 e janeiro de 2017, a NET apresentou um acréscimo de 100 reclamações na banda larga fixa (+ 1,4%). A Oi registrou queda de 6,8 mil (-28,3%) e a Vivo menos 2,8 mil queixas (-19%).

Reclamações por serviço

Em janeiro de 2018, na telefonia móvel pós-paga, o maior conjunto de queixas foi relativo à cobrança (48,03%), em segundo lugar reclamações relativas às ofertas e promoções (10,20%) e à qualidade, funcionamento e reparo (10,01%). Nos pré-pagos móveis, as reclamações relativas a crédito formaram o maior conjunto no mês (44,51%), ofertas e promoções ficaram em segundo (18,63%), seguidas das queixas sobre qualidade, funcionamento e reparo (14,57%).  Na telefonia fixa, cobrança formou o principal conjunto de reclamações em janeiro (36,74%), seguida das de qualidade, funcionamento e reparo (23,91%) e de cancelamento (9,08%).

Na TV por Assinatura em janeiro de 2018, cobrança foi principal motivo de queixa dos usuários do serviço (44,44%), seguido de bloqueio ou suspensão (11,57%) e qualidade, funcionamento e reparo (10,16%). Na banda larga fixa, qualidade, funcionamento e reparo foram os principais motivos de queixas dos usuários (45,98%), seguido de reclamações relativas à cobrança (22,42%) e à instalação ou ativação do serviço (9,04%).

Acesse as tabelas com os totais de reclamações contra prestadoras de telecomunicações registradas na Anatel.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho