​Documentário "Casamento Infantil", da ONG Plan International Brasil

​​

Brasil é o quarto país do mundo com maior número de casamentos de meninas e a Plan International Brasil lança filme para conscientização da sociedade para esta realidade. 

O Brasil é o 4º país no mundo com maior índice de casamentos de crianças e adolescentes meninas, e é um tema pouco divulgado na imprensa. Essa realidade atinge mais de 554 mil meninas de 10 a 17 anos no Brasil – mais de 65 mil delas com idade entre 10 e 14 anos segundo estudo do Banco Mundial.
Em busca de dar visibilidade para esse cenário a Organização lança o documentário "Casamento Infantil", que estreia dia 7 de março às 19h no Cinesala em São Paulo. Assista o trailer: https://vimeo.com/252544494

Em estudo pioneiro feito pela Plan International Brasil e o Instituto Promundo de 2015 foi analisado o contexto do casamento infantil em nosso país nos dois estados com maiores índices de acordo com o Censo de 2010: Pará e Maranhão. O número de meninas casadas é muito superior ao de meninos. Segundo o Censo de 2010 foram 22.849 meninos de 10 a 14 anos casados, contra 65.709 meninas na mesma idade. Na faixa de 15 a 17 anos foram 78.997 meninos e 488.381 meninas. Outro fator de importante destaque é a idade marital de 9,1 anos a mais para os homens, e as uniões informais são mais comuns que as formais quando envolvem homens adultos com meninas. 
O casamento infantil é um fenômeno complexo, que muitas vezes acarreta em vulnerabilidades para as meninas, além de intensificar as desigualdades de gênero. O estudo do Banco Mundial aponta que ele responde por 30% da evasão escolar feminina no ensino secundário no mundo. Meninas que se casam antes dos 18 anos têm maior probabilidade de engravidarem, o que potencializa o risco de mortalidade materna e infantil, além de se tornarem vítimas de violência doméstica conjugal, abusos e até estupro marital. Os papéis de gênero tradicionais também são intrínsecos nos casamentos infantis: os homens são provedores da família, com acesso livre aos espaços públicos num quadro onde existe maior liberdade e infidelidade. Já as meninas são as cuidadoras, responsáveis pelas tarefas domésticas, e encontram-se limitadas ao espaço privado e afastadas dos seus pares. 
Os principais fatores que motivam o casamento infantil são: gravidez; desejo das famílias de controlar a sexualidade das meninas e limitar comportamentos identificados como de risco; desejo de assegurar estabilidade financeira através do casamento; resultado das preferências e do poder dos homens adultos (que optam por casar com meninas mais novas por considerá-las mais atraentes, se sentido mais jovens, homens adultos são percebidos como melhor de vida do que homens mais jovens).


A legislação vigente atualmente define que o casamento é permitido a partir dos 16 anos com o aval dos pais. Porém, nos casos de gravidez não há limite mínimo de idade – uma situação permissiva que possibilita e até favorece essa prática. O Projeto de Lei 7119-2017 tramita no Congresso e visa proibir totalmente o casamento de crianças e adolescentes antes dos 18 anos, barrando as brechas existentes na lei atual. No artigo 1520 "Não será permitido, em qualquer caso, o casamento de quem não atingiu a idade núbil" (art.1517).
Para vencermos essa luta são necessárias intervenções específicas nas políticas públicas e conscientização da sociedade sobre as implicações do casamento para a vida das meninas em nosso país. A campanha"Casamento Infantil não" da Plan International Brasil também deu origem à petição online para acabar com o casamento infantil e ajudar a manter as meninas na escola, evitar a gravidez precoce e protegê-las de abusos e violências. É possível apoiar a causa em: http://casamentoinfantilnao.org.br
Após o lançamento do filme, em São Paulo, a ação de difusão social do documentário permitirá que ele seja distribuído para qualquer região do país. Escolas, coletivos, universidades e até pequenos grupos poderão assistir ao filme gratuitamente e promover um debate sobre o tema.


Sinopse:
O Brasil é o quarto maior país em números absolutos em casamento infantil. Marília tem 15 anos e vive no interior do Maranhão. Daniela tem dois filhos e vive em um bairro de periferia de São Paulo. Em comum a história de duas meninas que tiveram suas vidas impactadas pelo casamento precoce. O documentário explora o impacto dessas realidades enquanto pesquisadores, cientistas sociais e legisladores entre outros discutem o impacto desses números no país. 

Ficha Técnica:
Formato: Documentário, 23 min.
Realização: Plan International Brasil
Produção: 3Filmgroup.tv
Direção: Raphael Erichsen
Fotografia: Daniel Graf, Bruno Sandini e Raphael Erichsen
Pesquisa: Mariana Chaves e Viviana Santiago
Produção: Mariana Chaves
Distribuição: Taturana Mobilização Social




Sent with Free Email Tracker by cloudHQ
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho