Monica Iozzi fala no canal Love Treta sobre micos que cometeu no casamento de Felipe Andreoli com Rafa Brites


A conversa ainda rendeu uma reflexão política da atriz sobre o cenário atual do Brasil



A convidada desta semana do canal Love Treta, da Snack, maior rede multiplataforma brasileira de social vídeo, é uma amiga de Rafael Cortez de longa data: Monica Iozzi.

A atriz, que é conhecida por seu bom humor, participou do quadro cinco perguntas e aproveitou para contar muitas histórias engraçadas, porém, não esqueceu de dar sua opinião sobre o atual momento político em que o Brasil se encontra.

Iozzi lembrou que Rafael Já foi seu crush:"Eu era muito fã do CQC, era louca por ele, minha prima Camila está aqui e pode falar, ás vezes ela gritava: Mô começou o CQC e eu respondia que não ia assistir porque não aguentava ver o Rafael Cortez e saber que eu nunca ia chegar perto dele, saber que eu nunca ia poder dar um beijo nele. Aí quando eu cheguei no programa e a gente se conheceu isso tudo acabou, porque a gente virou amigo e se apaixonou de um outro jeito", conta. Depois disso, eles chegaram a ficar, mas não virou nada sério.

A dupla se divertiu ao lembrar de um episódio hilário que aconteceu com Monica no casamento de Felipe Andreoli e Rafa Brites: "Eu estava resfriada e misturei remédio com bebida alcoólica. Me falaram que eu cheguei na festa e falei para a mulher do Diego Barredo, meu chefe na época do CQC: Gabriela posso morder seu marido? E eu lambi ele na bochecha. Parece que a Gabi começou a rir e eu fui lá e mordi a bochecha dela também, fui pegar o buquê caí de perna aberta no meio da pista, Rafaella Brites diz que tem essa imagem. E o Serginho Groismann também me contou que eu mordi a sua bochecha e, detalhe, eu não o conhecia".

A conversa também teve um momento sério onde a atriz, conhecida por se posicionar politicamente, falou o que faria caso Jair Bolsonaro ganhasse a eleição para presidente.

"Você sabe que eu estava conversando com alguns amigos e se esse cenário assustador se concretizasse mesmo o que a gente faria? Meus amigos falaram que iriam para o Uruguai, o outro para Portugal, mas eu fico, Rafa, porque eu acho que se um cara como o Jair Bolsonaro chegar ao poder a gente vai ter questões muito mais graves para se preocupar, a gente vai ter uma perseguição declarada. Ele é um cara que há pouco tempo disse que se ele fosse presidente do Brasil, assim que assumisse ele instituiria um golpe, a gente já vive um golpe, mas acho que ele faria um mais claro, pelo menos foi o que ele disse".

Se você quiser saber mais sobre a entrevista é só clicar aqui e não esqueça de se inscrever no canal:youtu.be/fwCUuwHkw18

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho