SYFY estreia Cinelab Aprendiz, um reality de competição de efeitos especiais


Nova temporada conta com vinte aspirantes liderados pelos especialistas Kapel Furman, Armando Fonseca e Raphael Borghi

Cena do reality Cinelab Aprendiz

SYFY estreia Cinelab Aprendiz no dia 11 de maio, sexta-feira, às 18h30. Nesta temporada em novo formato, os participantes que sonham em se tornar grandes realizadores de cinema competem em provas que exigem a produção e gravação de efeitos especiais, orientados pelos experientes Kapel FurmanArmando Fonseca e Raphael Borghi.

Produzido pela Boutique Filmes e com direção de Rafael Barioni, o reality trará uma acirrada disputa que envolve muita criatividade, técnica e explosões. As gravações foram realizadas em uma antiga fábrica em São Paulo,  transformada no campo de provas do programa.

No primeiro episódio, conheceremos os participantes que formarão os times de Kapel, Armando e Raphael. A cada desafio, os aspirantes precisam correr contra o tempo e aproveitar a oportunidade de aprender com os maiores especialistas da área na busca pelo título de grande especialista em efeitos especiais.

O vencedor do programa ganhará um curso de computação gráfica e produção de games, além do grande troféu Cinelab.

 

Conheça os candidatos a aprendiz:

Alice Austríaco, 24, de Contagem (MG), apesar de não ter muito conhecimento em cinema e vídeo, mostra talento na maquiagem de efeito. Se interessou por efeitos especiais assistindo ao Cinelab.

André Christaziano, 25, de São Paulo, é professor de inglês e começou a estudar cinema. Está iniciando neste universo e continua dando aulas enquanto não ingressa na área profissionalmente.

Beatriz Ropaf, 23, de São Paulo, é diretora de arte, cenógrafa e atriz. Tem um pé nos efeitos especiais devido ao seu trabalho como diretora de arte e quer aprender muito mais dentro da área. Como atriz profissional irá valorizar a mise en scène.

Denis Sitta, 31, de São Bernardo do Campo, mas vive em São Paulo, é fotógrafo e vídeo maker publicitário.

Felipe Guilherme, 23, de Mogi das Cruzes (SP), já atua na área audiovisual e é proprietário de uma pequena produtora local. Tudo que sabe sobre cinema aprendeu na prática.

Gabriel Niemietz, 36, de São Paulo, é campeão Mundial de Cosplay, especialista em efeitos e já atua na área audiovisual.

Guilherme Ferraro, 32, de São Paulo, conta com experiência em produção audiovisual e seu objetivo é se tornar um cineasta.

Gustavo Saulle, 30, de Curitiba, mas vive em São Paulo, é ator, locutor e "professor de engenhocas", ensina crianças a montar objetos inusitados reaproveitando materiais.

Hélio Guilherme Andreoli, 37, de São Paulo, formou-se em Direito por insistência da família, mas nunca exerceu a profissão de advogado. Trabalhou em banco por cinco anos e decidiu investir o dinheiro que juntou num curso básico de direção de cinema.

Israel Massei, 34, de São Paulo, trabalha com produção de marketing e fotografia. Tem um pouco de conhecimento na área audiovisual graças aos vídeos que já produziu para feiras e eventos.

Lua Tiomi, 29, de Brasília, mas vive em São Paulo, é formada em artes cênicas, entende de iluminação e cenografia para teatro e está se especializando em maquiagem artística.

Luan Osório, 18, de Natércia do Sul (MG), é o mais jovem dos participantes e um entusiasta do mundo do cinema e efeitos especiais. Embora não tenha expertise na área, tem muita vontade de aprender.

Lucas Siqueira, 23, de São Paulo, formou-se numa escola de games e trabalha como design gráfico. Tem um canal no YT de comédia - "Trip Movies". Se diz tranquilo e centrado e não vê problemas em trabalhar em equipe.

Marcelo Perri, 54, de São Paulo, mas reside em Mogi Mirim (SP), tem conhecimento na área, mas não trabalha no meio. Adora construir coisas. Engenheiro, gestor cultural, proprietário de um buffet infantil são algumas de suas ocupações.

Mariana Oliveira, 23, de Campinas (SP), é especialista em maquiagem de efeito. No programa, busca ganhar experiência em efeitos especiais.

Ney Frota, 33, de Suzano, fez alguns cursos de atuação e de dublagem. Trabalha em feiras e eventos interpretando personagens como palhaços e a Velha Surda. Gosta de efeitos especiais e do Cinelab, mas não tem muita experiência na área.

Ricardo Bizafra, 32, de São Paulo, é formado em arquitetura. Cenógrafo e cenotécnico de eventos comerciais sempre desejou trabalhar com cinema. Saiu de Minas Gerais onde tinha sua própria empresa e veio arriscar a vida em São Paulo.

Talles Rodrigues, 21 anos, de Jaguariúna, trabalha com marketing. Fez um curso de cinegrafista por gostar de cinema. Não entende nada de efeitos especiais – o máximo que fez foi usar um chroma durante o curso de cinegrafista. Já tentou fazer efeitos simples como maquiagem e sangue falso, mas não teve sucesso.

Walder Silva, 38, do Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo (SP), também é estudante de cinema. Está em busca de atuar na área e começar de novo.

Yara Oliveira, 23, de Itapecerica da Serra (SP), trabalha com edição de vídeo e é apaixonada por filmes gore. Seu nome é uma homenagem a uma personagem de filme de terror

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho