​ Jaeger-LeCoultre dá continuidade ao seu projeto de restauração de filmes antigos em parceira com o Festival Internacional de Cinema de Xangai

Há mais de dez anos, o nome da Jaeger-LeCoultre é associado aos melhores festivais de cinema do mundo, sobretudo ao Festival Internacional de Cinema de Xangai. Neste ano, a Grande Maison do Vallée de Joux festeja o oitavo aniversário de sua parceria com o evento, e também o aniversário de seu projeto comum: a restauração de filmes antigos. Como a arte de contar o tempo e o universo da sétima arte estão intimamente ligados, todos os anos a Jaeger-LeCoultre engaja-se nesse projeto de restauração com a esperança de transmitir às gerações futuras um valioso patrimônio cultural.


Um relógio único, vendido em leilão para preservar o legado cinematográfico chinês


Para continuar apoiando os projetos de restauração, a Jaeger-LeCoultre doou um relógio que foi vendido em um leilão durante o 21° Festival Internacional de Cinema de Xangai. A quantia obtida será utilizada para financiar as próximas restaurações de filmes clássicos chineses que marcaram a história do cinema. O Rendez-Vous Night & Day Tributo ao Cinema Peça Única SIFF 2018, especialmente criado para a ocasião, simboliza o espírito e a estética artística da Grande Maison, criada no Vallée de Joux, entre as montanhas da região suíça do Jura. Com uma caixa em ouro rosa engastada de diamantes, mostrador vermelho e pulseira em couro de crocodilo, a peça evoca o carisma do feminino místico e o estilo da elegância clássica. O característico indicador dia/noite às 6 horas é uma homenagem à beleza do tempo e ao comprometimento da Maison com o mundo do cinema.


A arte da restauração: uma representação da excelência de Jaeger-LeCoultre


Ao longo dos últimos oito anos, a Jaeger-LeCoultre, em colaboração com o famoso festival, restaurou dezenas de clássicos do cinema chinês dos anos 1930 e 1940, como "A Spring River Flows East" e "Irmãs em Dois Estágios", além de filmes produzidos em Hong Kong, como "Alvo Duplo" e "Endless Love", sem esquecer "Outside the Window", apresentado ano passado em Xangai. Com seus 185 anos de inovação contínua no setor relojoeiro, a Manufatura Jaeger-LeCoultre é muito sensível à preservação das obras de arte históricas e do patrimônio artesanal.


Coberto pela poeira do tempo que passa, um filme clássico simboliza a memória coletiva e o sonho de uma geração. Graças à tecnologia moderna, os especialistas em restauração apagam as marcas do tempo e revelam todo o glamour que elas escondiam. Contudo, mesmo com as tecnologias digitais, a restauração de filmes antigos depende sempre e antes de tudo da perícia e experiência dos especialistas, artesãos indispensáveis na trajetória da preservação dos clássicos e do patrimônio. Esses profissionais são os detentores de uma habilidade tradicional, uma verdadeira arte cinematográfica. Dessa forma, a restauração traz de volta à imagem e o som dos filmes antigos, oferecendo assim uma experiência aprimorada ao espectador, trazendo a sua memória uma lembrança antiga atualizada.


Painting Soul, a restauração de um filme chinês que marcou a história


Em 2018, Painting Soul, lendário filme biográfico e mais recente obra restaurada pela Grande Maison, foi apresentado no 21° Festival de Cinema de Xangai. O filme é a adaptação de um romance de Shi Nan que conta a história da pintora chinesa Pan Yuliang. Gong Li dá vida à personagem principal com uma interpretação vibrante da personalidade refinada e independente de Pan. A Manufatura Jaeger-LeCoultre apoia o cinema chinês contribuindo para a proteção do seu patrimônio cultural. No 21° Festival de Cinema de Xangai, a Jaeger-LeCoultre convidou personalidades do mundo inteiro para admirarem a próspera cena cinematográfica chinesa e apoiar os artistas locais. A marca garante ter a intenção de prosseguir com seu profundo engajamento com esses projetos de restauração, a fim de participar do desenvolvimento da sétima arte na China e transmitir esse legado às futuras gerações.


A restauração de Painting Soul possibilitou a correção da deformação e dos saltos de imagem provocados pelo envelhecimento da fita, melhorando de forma significativa a nitidez e o contraste da imagem, assim como as texturas e a pureza dos efeitos sonoros. Mesmo que seja simples restituir a luminosidade de um filme antigo, recuperar todas as suas nuances e qualidade original demanda uma sensibilidade artística aguçada e conhecimentos bastante especializados. A restauração foi conduzida por Zheng Dasheng, famoso cineasta e filho do diretor de Painting Soul. As ligações familiares, frequentemente, possibilitam que diretores de gerações diferentes deem uma nova essência a uma obra e revisitem de maneira inspirada uma lembrança distante. Um novo clássico retorna à vida graças ao trabalho da Jaeger-LeCoultre, do Festival de Cinema de Xangai e de diversos experts da restauração cinematográfica.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

​EM SAFRA INÉDITA NO TLC, “OS BUSBYS + 5” VIAJAM A NOVA YORK E APOSTAM EM NOVO NEGÓCIO

Série Rotas do Ódio estará com acesso livre no Universal Channel Play nesta semana

​Karina Oliani comanda "A outra face do Everest" no Canal Off