Documentário sobre time de várzea de São Paulo concorre ao prêmio Taça Cinefoot, festival de cinema sobre futebol pioneiro na América Latina



Sob direção de Alex Miranda e Wellington Rilo e com roteiro de Carla Lagner, documentário conta a história do A.E.C Favela Futebol Clube, time de várzea do bairro Jardim Miragaia

São Paulo, setembro de 2018 – "No Favela eu não jogo por dinheiro, jogo por amor". A frase de um dos jogadores do A.E.C Favela Futebol Clube que surge em destaque no trailer do filme define a linha narrativa de Sou Favela, documentário que conta a história da instituição criada em 1996 e que detalha não só o dia dia do time e de sua torcida, como também o papel que o Clube exerce na comunidade.

Sob a direção de Alex Miranda, idealizador do filme, e de Wellington Rilo, o documentário acaba de ser indicado aoPrêmio Cinefoot – único festival de cinema de futebol do Brasil e pioneiro na América Latina. O filme – que conta ainda com roteiro de Carla Legner, finalização de som com Renan Vasconcelos e com trilha sonora do rapper Dexter, que é padrinho do time – será exibido no dia 30 de setembro, domingo, às 19h, no Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu. A entrada é gratuita e há limite de 174 lugares e 4 cadeirantes. Vale lembrar ainda que o filme vencedor do voto popular será exibido na Mostra Internacional de Cinema.

"Com uma câmera na mão, vivi por meses uma parte da trajetória do Favela Futebol Clube nos campeonatos de várzea de São Paulo, registrando momentos de vitória, de derrota, de reflexão. A dedicação dos jogadores, o empenho do presidenteDumeen, a devoção dos 'Faveloukos', que é a torcida do time, o envolvimento e comprometimento da comunidade: tudo isso está de alguma forma retratada nesse documentário. A realização do filme realmente é uma honra, porque essa é uma história que merece ser contada e precisa ser escutada, ampliada. E claro que a indicação do filme para uma premiação da proporção do Cinefoot nos enche de orgulho", afirma o idealizador e diretor do documentário, Alex Miranda.

Para o Presidente do time, Dumeen, a criação de um time de futebol de jovens em uma comunidade como o Jardim Miragaia tem resultados que vai muito além da diversão do puro futebol. "Aquela frase de que 'não é só futebol' nunca fez tanto sentido como no Sou Favela. Esse documentário é a prova viva de como uma comunidade pode estar presente e ajudar uns aos outros. Para os moradores do bairro do Jardim Miragaia, o Favela Futebol Clube é mais que um time, é uma grande família. E é no esporte que muitas crianças enxergam um futuro melhor. Ter contribuído de alguma maneira para registrar essa história é realmente fascinante", pontua.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

​NOVA SAFRA DE “UMA MULHER DE PESO” NO TLC SEGUE WHITNEY THORE EM FASE CRÍTICA DA CARREIRA E NA VIDA PESSOAL

​EM SAFRA INÉDITA NO TLC, “OS BUSBYS + 5” VIAJAM A NOVA YORK E APOSTAM EM NOVO NEGÓCIO

Série Rotas do Ódio estará com acesso livre no Universal Channel Play nesta semana