A&E Investiga estreia o especial Mary Kay Letourneau: Meu Crime é amar

A professora engravidou de um aluno, na época com 13 anos. Acusada de abuso de menor, cumpriu uma pena de sete anos e meio de prisão. Hoje, desfruta de seu casamento com o ex-aluno

Estreia: 27/1, domingo, 21h50

O especial Mary Kay Letourneau: Meu Crime é Amar (Mary Kay Letourneau Autobiography), que o A&E estreia no dia 27 de janeiro, retrata o caso de uma mulher de 34 anos que engravidou de seu aluno de 13. O caso tornou-se público e o escândalo a colocou atrás das grades por mais de sete anos, por abuso de menor. Um comovente relato, contado pela própria Mary Kay, que atualmente está casada com o seu ex-aluno e suposta vítima, com quem tem duas filhas.

Este especial de duas horas reconstrói o caso de amor e sexo mais escandaloso dos Estados Unidos. A própria Mary revela detalhes inéditos, enquanto compartilha de maneira profunda e aberta sua história, seus problemas com a lei, sua vida na cadeia e seu sentimento logo que perdeu contato com seus filhos mais velhos. Ela relata como conheceu Vili, em 1996, em que momento se apaixonou, quando ficou ciente de que havia cometido um delito, seu posterior julgamento e sentença, e sua vida atual após ter permanecido sete anos e meio na cadeia.

Além disso, o especial inclui depoimentos de Vili Fualaau, dos amigos mais próximos de Mary e de seu advogado David Gehkre. Traz também entrevistas com detetives que atuaram no caso e imagens de arquivo, dos julgamentos, sentenças e até reportagens sobre o primeiro marido de Mary Kay, Steve Letourneau, com quem teve quatro filhos.

Amor proibido

Mary Kay nasceu em Tustin, Califórnia, em 1962; filha de Mary e John Schmitz, membro republicano da Câmara de Representantes dos Estados Unidos e do Senado do Estado da Califórnia, do Condado de Orange. Na Universidade do Arizona, Mary conheceu Steve Letourneau, com quem teve quatro filhos. Inicialmente, a família viveu no Alasca e depois mudou-se para Seattle, Washington, para onde Steve foi transferido a trabalho. Ali, Mary Kay se graduou como professora na Universidade de Seattle em 1989, e, em 1996, começou seu trabalho como docente na escola Shorewood Elementary School.

Mary Kay entrou na Shorewood Elementary como professora do segundo ano e logo se tornou professora do sexto ano, quando conheceu Vili Fualaau, um de seus alunos. "Vili era mais alto que os demais meninos da classe, era repetente. Se destacava por sua maneira de desenhar e seus colegas o admiravam por isso", conta Mary. "Uma vez, fez uma aposta com um amigo, em que tinha certeza que poderia ter uma aproximação comigo. E assim foi, em uma ocasião depois da aula, me disse que gostava de alguém. Desde então, nos tornamos muito próximos, mas no começo não senti atração, nunca havíamos nos beijado, nem fizemos sexo. Simplesmente nos tornamos muito próximos", assegura a professora.

"Começamos a falar de coisas que tínhamos em comum, às vezes na sala de aula, ou quando ela me acompanhava até minha casa, e até depois da aula, quando tinha que fazer tarefas", conta Vili. E acrescenta: "Eu sabia que o relacionamento não me dava medo, e foi algo que fluiu. Mas era sabido que deveria esconder de minha mãe, família e amigos. A diferença de idade não era algo que me preocupava, eu simplesmente pensava que ela era uma mulher de quem eu gostava e esperava que ela sentisse o mesmo". Em 1997, o relacionamento entre o casal se tornou sexual.

Mary Kay engravidou de Vili, de 13 anos, quando ainda estava casada com Steve. Desconfiado, ele começou a questionar qual era o tipo de relação entre sua esposa e o aluno. Assim, Steve confrontou Mary e o próprio Vili, ao saber que sua mulher estava grávida. Por fim, Mary terminou confessando a seus pais que estava atravessando uma crise no casamento e que esperava um filho de outro homem. Segundo as autoridades, Mary foi presa depois que a polícia recebeu uma denúncia de um conhecido da família.

A professora teve sua primeira filha com Fualaau, Audrey, em maio de 1997, enquanto aguardava sua sentença. Mary se declarou culpada, aconselhada por seus advogados James Lobsenz e David Gehkre; e cumpriu pena de meio ano na cadeia, conquistando liberdade condicional. Mas voltou a se encontrar novamente com Vili, então com 14 anos, e perdeu a liberdade. Mary engravidou mais uma vez. A ex-professora teve de cumprir toda a sentença a que havia sido condenada, sete anos, a isolando de suas filhas, de Vili, mudando sua vida para sempre.

Mary foi libertada em agosto de 2004 e se casou com Fualaau em maio de 2005, quando ele tinha 21 anos, e desde então vivem com suas filhas. Ela mantém contato com os filhos do primeiro casamento. Mary Kay Letourneau: Meu Crime é Amar é a confissão desta ex-professora, que levanta uma questão moral entre um amor real e um abuso sexual.

Classificação indicativa: 14 anos


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

​NOVA SAFRA DE “UMA MULHER DE PESO” NO TLC SEGUE WHITNEY THORE EM FASE CRÍTICA DA CARREIRA E NA VIDA PESSOAL

​EM SAFRA INÉDITA NO TLC, “OS BUSBYS + 5” VIAJAM A NOVA YORK E APOSTAM EM NOVO NEGÓCIO

Paramount Channel Programação Semanal 1º a 07 de abril