​Viagens mais curtas e frequentes se popularizam entre os viajantes, revela estudo da Visa

 

O estudo Global Travel Intentions também aponta que portar dinheiro em espécie pode ser um motivo de maior preocupação para viajantes do mundo todo

 

São Paulo, fevereiro de 2018  Amplo estudo sobre viagens e turismo realizado em 2017 pela Visa - o Global Travel Intentions (GTI) destaca diversos aspectos da jornada dos viajantes. Apesar de ter como principal motivação a redução do estresse, o estudo revela que certos aspectos da viagem podem gerar ansiedade. Entre eles, o ato de obter, portar e trocar dinheiro em espécie. Embora pagar com a moeda de seu país possa gerar uma sensação de familiaridade ao viajante, as compras feitas no exterior costumam ser acrescidas de comissões relacionadas ao câmbio de moeda e taxas extras.

Macrotendências de viagem em 2018

Além de examinar as motivações e as táticas de planejamento de viajantes internacionais de 27 países, incluindo o Brasil, o GTI destaca macrotendências que devem ser mantidas em 2018:

·         Viagens mais curtas: a média mundial em 2017 foi de oito noites; enquanto que em 2013, a média era de 10 noites.  

·         Mais viagens ao exterior: mundialmente, as pessoas estão planejando fazer mais viagens no futuro saindo de suas regiões, aumentando a média de 2,5 viagens nos últimos dois anos para 2,7 viagens nos próximos dois anos. Os viajantes vindos dasAméricas lideram em número de viagens, registrando uma média de 3,2 viagens em 2017.

●     A tecnologia facilita a vida de viajantes em seus destinos: 88% dos viajantes ficaram online enquanto estavam no exterior. Quase metade (44%) usou aplicativos de compartilhamento de viagens para se locomover quando estavam em terra.

●     Múltiplos destinos: 11% das viagens globais relatadas incluíam visitas a vários países.

·         Japão, Estados Unidos e Austrália são os países mais visitados: o Japão superou os Estados Unidos como o destino mais popular dos viajantes globais nos últimos dois anos. Porém, as preferências regionais prevalecem e os viajantes da região Ásia Pacífico tendem fortemente a escolher o Japão como destino de viagem. Já os viajantes americanos preferem a Europa, embora México, Canadá e Japão também sejam altamente desejáveis.

·         Viajantes que mais gastam: os viajantes da Arábia Saudita são os que mais gastam com toda a viagem, tanto na fase de reserva quanto no destino. Chineses, australianos, americanos e kuwaitianos completam o ranking das cinco nacionalidades que mais gastam.

Simplificando os pagamentos no exterior

Cresce o uso de tecnologia para planejamento das viagens e deslocamento nos destinos – 83% dos viajantes usaram a tecnologia com esse objetivo em 2017, contra 78% em 2015. Ainda assim, a maioria deles optou por um meio físico ao pagar no exterior. 

Embora muitos viajantes tenham usado cartões durante as férias, a maioria (77%) ainda preferiu usar dinheiro ao fazer compras. O uso de um cartão Visa para pagar em moeda local poderia ajudar o viajante internacional a obter uma taxa de câmbio mais competitiva e, possivelmente, evitar o pagamento de taxas embutidas no câmbio de moeda no retorno ao seu país de residência, por exemplo. O estudo também descobriu os seguintes temas relativos ao uso de dinheiro em viagens internacionais:

  • Dinheiro em espécie causa ansiedade: os viajantes citaram perda ou roubo como a principal preocupação relacionada ao uso de dinheiro em espécie nas viagens.
  • Quem mais gasta: o viajante global médio gasta US$ 1.793 por viagem; mundialmente, porém, a média do montante em dinheiro em espécie levado pelos viajantes ao seu destino atinge US$ 778[1].
  • Desvantagem: para viajarem com tanto dinheiro, 72% das pessoas fizeram preparativos para dispor de moeda estrangeira antes da data da viagem.
  • Sinais reveladores: cerca de uma em dez pessoas fizeram saques em caixas automáticos em seus destinos. A segurança nos caixas é uma preocupação que impacta essa estatística e foi citada por um em cinco viajantes como barreira ao uso de caixas automáticos. Porém, a probabilidade de viajantes da Europa, Oriente Médio e África sacarem dinheiro durante as férias é maior do que a de viajantes de outras regiões.
  • Dinheiro não usado: a grande maioria dos viajantes, 87%, não gasta todo o dinheiro nas viagens, mas apenas 29% convertem essa sobra em uma moeda efetivamente aceita em seu país. A média mundial dessa sobra é de US$ 123.

"Temos nos preparado para acompanhar a evolução desta jornada cada vez mais digital dos portadores de cartões Visa, por meio da disponibilização de múltiplos canais que facilitem a vida do viajante antes, durante e após a viagem", diz Maria Regina Botter, diretora de produtos da Visa. "Usar um cartão Visa no exterior significa uma experiência mais segura, integrada, conveniente e livre de algumas das preocupações que acompanham o porte de dinheiro em espécie. Com mais pessoas viajando internacionalmente em 2018, estamos empenhados em ajudar o viajante a aproveitar ao máximo suas viagens".

Dicas para consumir, evitando o estresse durante as viagens

  • Use seu cartão Visa e, sempre que possível, pague em "moeda local" para obter uma taxa de câmbio competitiva e tentar evitar o pagamento de taxas embutidas no câmbio de moeda no retorno ao seu país de residência. 
  • Sempre que possível, pague em um terminal compatível com a tecnologia de chip, que oferece mais segurança ao uso do cartão de crédito, débito ou pré-pago.
  • Procure os logos Visa no terminal do ponto de venda ou caixa automático para confirmar a aceitação de cartões de pagamento.

Mais conclusões do GTI

O viajante global gasta em média US$ 1.793 por viagem. A expectativa é que os viajantes gastem mais nas próximas viagens e a tendência é que o maior aumento seja observado na Ásia Pacífico.

Intenção de gasto na próxima viagem de lazer comparada à viagem anterior (média em US$)*

Região

Última viagem

Próxima viagem

% de mudança

Global

US$ 1.793

US$ 2.443

36,25% de aumento

África e Oriente Médio

US$ 2.666

US$ 2.666

0% de aumento

Ásia Pacífico

US$ 1.677

US$ 2.443

45,68% de aumento

Europa

US$ 1.174

US$ 1.409

20,02% de aumento

Américas do Norte e do Sul

US$ 2.248

US$ 2.840

26,34% de aumento

Entre os viajantes que mais gastam no mundo, os da Austrália, China, Kuwait e Estados Unidos continuam otimistas quando se trata de gastos em suas futuras viagens ao exterior. Os pesquisados da Arábia Saudita ainda são os que mais gastam, mas preveem gastar menos em suas próximas viagens internacionais.

Os cinco mercados globais que mais gastam – intenção de gasto na próxima viagem internacional (média em US$)**

 

Arábia Saudita

China

Austrália

Estados Unidos

Kuwait

Próxima viagem

US$ 4.800

US$ 4.034

US$3.529

US$ 3.500

US$ 3.474

Os cinco mercados globais que mais gastam – montante gasto na última viagem internacional (média em US$)*

 

Arábia Saudita

Kuwait

China

Austrália

Emirados Árabes Unidos

Última viagem

US$ 5.333

US$ 3.143

US$ 2.988

US$ 2.745

$US 2.722

 

Para mais informações sobre o Estudo Global Travel Intentions da Visa, visite Visa.com/TravelStudy.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho