Atriz Irene Ravache comenta chegada de ‘Sol de Verão’ ao Globoplay pelo projeto Fragmentos

GLOBOPLAY
Oito capítulos preservados no acervo serão disponibilizados na plataforma
A novela 'Sol de Verão' chega ao Globoplay nesta segunda-feira, dia 19, pelo projeto Fragmentos, que recupera e disponibiliza obras das décadas de 1970 e 1980. Ao todo, oito capítulos preservados serão disponibilizados pela plataforma: 1, 2, 69, 70, 121, 122, 137 (último capítulo) e o capítulo especial 138. Escrita por Manoel Carlos, com direção de Roberto Talma, Jorge Fernando e Guel Arraes, 'Sol de Verão' foi exibida pela TV Globo em 1982. O autor assina ainda 'Mulheres Apaixonadas', que passa a ser disponibilizada na plataforma também nesta segunda-feira, em seu formato original, pelo 'Originalidade'.  
 
A trama de 'Sol de Verão' conta a história de Rachel (Irene Ravache) que, infeliz no casamento, decide se separar do empresário Virgílio (Cécil Thiré). Disposta a dar uma virada em sua vida, ela se muda de Petrópolis para a zona sul do Rio de Janeiro com a filha, Clara (Débora Bloch), passando a morar na casa da mãe, Laura (Beatriz Segall), em Ipanema. Ali, ela se apaixona pelo charmoso, mas rude, Heitor (Jardel Filho), dono de uma oficina mecânica. Ele mora com a irmã, Irene (Beatriz Lyra), em um sobrado antigo, um dos principais cenários da novela.
 
Antes do desfecho da trama, o ator Jardel Filho faleceu. Com isso, o destino da personagem de Irene Ravache foi alterado: Rachel passou a ser cortejada pelo professor Horácio (Paulo Figueiredo) e por Virgílio.
 
Com mais de 60 anos de carreira na dramaturgia, a atriz Irene Ravache relembra sobre a trama de 'Sol de Verão' e lamenta o falecimento do ator Jardel Filho, a quem se refere como um dos maiores atores do país. Confira abaixo: 
 
Entrevista com a atriz Irene Ravache:
 
Como foi interpretar a Rachel de 'Sol de Verão' na década de 1980? Que lembranças você guarda desse trabalho?
 
Irene Ravache - Ter feito a Rachel em 'Sol de Verão' foi uma oportunidade muito boa. Eu estava residindo em São Paulo e retornei para a TV Globo para fazer essa novela de tamanho sucesso, com um elenco primoroso. Foi tudo muito bem, até o momento em que a novela foi tragicamente marcada pela morte do seu ator principal, que era o Jardel Filho. Jardel foi um dos maiores atores do Brasil. Para se ter uma ideia, até hoje, quando as pessoas conversam comigo, perguntam do Jardel, falam dele, tal a força de interpretação desse ator. Minha personagem se chamava Rachel; talvez eu seja uma das poucas personagens do Manoel Carlos que não teve o nome de Helena, que é um fato curioso.
 
Quais características da personagem você destacaria para apresentá-la para o público que não assistiu a novela quando foi exibida na Tv Globo?
 
Irene Ravache – A novela começa num momento em que a Rachel está infeliz no casamento. Ela era casada com o Virgílio (Cécil Thiré) e nós tínhamos uma filha, a Clara (Débora Bloch). Débora e eu tínhamos uma semelhança bem grande com nossos cabelos encaracolados, sardas, mesma cor da pele. Foi uma delícia ter a Débora como filha e o Cécil como marido. A Rachel, então, conhece o Heitor, vivido pelo Jardel Filho. A princípio, ela antipatiza por ele ser rústico, rude. Mas, em seguida, vai acontecendo uma atração muito grande entre eles dois e essa atração se transforma em amor. É uma história muito bonita do Manoel Carlos e a Rachel representa aquela mulher que não está feliz com a sua situação de casamento, na década de 80, com dificuldades para se separar. Mas vai atrás e enfrenta essa batalha.
 
Como avalia a possibilidade de o público poder assistir aos capítulos preservados da obra por meio do projeto Fragmentos do Globoplay?
Irene Ravache – O projeto Fragmentos dá uma chance para as pessoas reverem momentos de interpretações de atores que fizeram parte do elenco da TV Globo, todos primorosos, meus colegas.
  
Criado pelo Globoplay para reforçar o compromisso com a memória da cultura, da dramaturgia brasileira e a valorização do audiovisual nacional, o projeto Fragmentos, que recupera e disponibiliza novelas das décadas de 1970 e 1980 que possuem de dois até 20 capítulos preservados no acervo, foi lançado em janeiro deste ano. Além de 'Sol de Verão', estão disponíveis no catálogo da plataforma os capítulos preservados de 'O Rebu' (1974), 'Coração Alado' (1980), 'Estúpido Cupido' (1976) e 'Chega Mais' (1980).  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SexPrivé Club: Nova apresentadora

Cine Gloob apresenta mais de 40 filmes no mês de Maio

2024