Morte, Vida e Sorte (2023) ganha sessão première nesta quarta, dia 09/11, no Belas Artes


 

Longa-metragem independente, rodado em São Paulo, une teatro e cinema para narrar a epopeia de três atrizes na realização de um sonho artístico comum

 

 

 

 

 

 

 

1h 40min   |   Português   | 

Produzido por Deborah Zapata 

Realizado por Alexandre Alencar

Rodado em preto&branco,no centro de São Paulo, de forma independente, o longa-metragem de estreia de Alexandre Setembro (ex-Alencar) Morte, Vida e Sorte ganha sessão première nesta quarta-feira, 9 de novembro, às 20h, no Cine Belas Artes.

Realizado pelo Estudio MANIC, o filme conta a história de três atrizes na capital paulistana e a batalha para conseguir montar a peça homônima que escreveram juntas.

 

O roteiro de Morte, Vida e Sorte se originou como uma peça no fim de 2019. E durante o processo de montagem do espetáculo, perceberam a relevância de transformar a experiência em um filme. Na adaptação de teatro para cinema, as personagens do espetáculo entram no filme como personagens das atrizes, que estão tentando realizar a peça ao mesmo tempo em que vivem a odisséia de se fazer arte no Brasil.

Fotografado em preto e branco com todas locações externas no centro de São Paulo, o filme celebra a efervescente cena cultural da cidade e seus trabalhadores, retratando as formas, contrastes e texturas da arquitetura paulistana.

 

"Durante a produção ficou ainda mais evidente o quanto a história das personagens do filme havia se tornado uma metáfora das nossas próprias dificuldades durante as filmagens", diz a atriz Eva Bensiman.

 

Em sua narrativa, o longa retrata alegoricamente os esforços necessários aos trabalhadores da cultura na realização de seus projetos.

 

"Foram duas tentativas de produzir o filme, uma delas antes e a outra durante a pandemia. Ambas produzidas em modelos de produções de baixo orçamento com fundos investidos por amigos, colegas, família e apoio de muitas pessoas. A pré-produção começou em meados de 2019, e iniciamos as gravações da primeira fase em 2020, porém no quinto dia de gravação, em março, as filmagens foram suspensas por decreto, devido ao início da Pandemia de Covid-19", revela Alexandre Setembro.

 

As filmagens foram retomadas em dezembro, quando as produções foram autorizadas

a voltar às ruas. O projeto precisou ser reestruturado desde o roteiro, até elenco e equipe.

 

O filme está pronto e agora é torcer para que ele consiga entrar no circuito de festivais e em distribuição no cinema e no streaming em 2023.

 

Sinopse:

Três atrizes Duda, Bebel e Tati decidem montar a peça de teatro que escreveram juntas. Endividadas, desempregadas e com risco de serem despejadas do seu apartamento as três se inspiram nos seus filmes favoritos para encontrar a solução dos seus problemas.

Alexandre Setembro é um cineasta brasileiro formado pela New York Film Academy em Los Angeles. Na Califórnia escreveu e dirigiu o curta-metragem "Thomas", selecionado para o LA Shorts Fest, Atlanta Film Festival e premiado no Big Bear Lake Int. Festival de Cinema 2014. Seu próximo curta "Go to Sleep Sadie" foi nomeado Melhor Curta Comédia do ano pela New Filmmakers LA 2015. De volta ao Brasil, dirigiu o curta "Madá", distribuído globalmente pela Origine Films na França. Em 2022, sai seu longa-metragem de estreia, "Morte, Vida e Sorte" (Morte, Vida e Sorte).

Maria Paula Lima
Protagonista no episódio "a vingança do ex" na série "crimes. com" (2019). Participação na série "No mundo da Luna" (2022) 2015 novela I Love Paraísópolis na TV Globo. Curso com o preparador Thomás Resende. Curso com a Preparadora Estrela Strauss. Clarice no espetáculo "Mundo Cão" de Willians Mezzacapa. Pelo Núcleo Experimental de Teatro integrou os elencos de \"Nossa Classe\" de Tadeusz Stobodzianek e direção de Zé Henrique de Paula e \"Judas em Sabado de Aleluia\" de Martins Penna e direção de Fernanda Maia. No teatro atuou também em \"Píramo e Tisbe\" de Vladimir Capella (2011/2012) e \"O Despertar da Primavera\" de Frank Wedekind e direção de Jair Assunção. No cinema atuou nos curtas \"Herança\" de Gustavo Carvalho (2011) "Fura Bolo" com direção de Diandra Martins. participou de grandes campanhas para marcas como Natura, Itaú, Cellep, China in Box, Coca-cola, Catho, Americanas. com, vivo fibra, Mc donalds, entre outras.

Eva Bensiman atriz rondoniense formada pela CAL- casa de artes de laranjeiras e Instituto Stanislavsky. Fez parte do elenco das peças: Aurora da minha vida; O tiro que mudou a História; O último instante; 16 hashtags para Pasolini.

Luiza Válio é formada em Artes Cênicas pela Unicamp e Instituto Stanislavsky. É formada também pelo Stella Adler Acting Studio de Nova Iorque, no currículo avançado do conservatório de verão. Seus últimos trabalhos no tratro foram Trova Cega, Aurélio e o Grande Mistério e Uma Cena de Amor para Francis Bacon. Atuou nos curtas metragens Contravozes, Dias Passados e (Ex)Posta.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NICKELODEON ESTREIA SPYDERS

Pode preparar a pipoca!

Influenciadora Stephanie Silveira posta fotos sensuais do seu dia a dia na Privacy