Festival Varilux de Cinema Francês anuncia delegação artística

 

OS DIRETORES ANNA NOVION, BAYA KASMI, BRUNO CHICHE, CÉDRIC KAHN, NICOLAS GIRAUD E RÉMI BEZANÇON E OS ATORES JULIA DE NUNEZ E STEFAN CREPON PARTICIPAM DO EVENTO EM SÃO PAULO E NO RIO DE JANEIRO


Os realizadores do Festival Varilux de Cinema Francês, que será entre 9 e 22 de novembro, divulgaram os nomes de seus convidados que vêm ao Brasil. Assim como em outras edições, uma delegação artística formada por diretores e atores franceses estará nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro apresentando seus filmes e debatendo com o público em algumas sessões.

 

A jovem atriz Julia de Nunez vem falar sobre seu papel em Brigitte Bardot, série biográfica de grande sucesso na TV francesa sobre a musa do cinema francês. Também ator, Stefan Crepon, foi indicado ao César de Melhor Ator Revelação pela atuação em Peter Von Kant, de Ozon, longa exibido no ano passado no Festival Varilux. Ele estará ao lado do diretor Cédric Kahn para debater o drama "Making Of". Premiado, Kahn já dirigiu astros do cinema francês, entre eles, Catherine Deneuve, Vincent Macaigne e Emmanuelle Bercot. 

 

Outro convidado, é Bruno Chiche, com mais de 37 anos de experiência no mercado audiovisual, que apresentará o filme "Maestro(s)". Já a diretora Anna Novion traz o drama "O Desafio de Marguerite", longa que integrante da Sessão Especial do Festival de Cannes de 2023 e também da 1ª edição do Festival Internacional de Cinema de Biarritz. A diretora Baya Kasmi apresentará a comédia "O Livro da Discórdia". Também roteirista, ela já conquistou o César de Melhor Roteiro Original por filme inspirado em sua vida.

 

Rémi Bezançon, outro convidado, vem falar de "O Renascimento". O diretor já marcou presença no Varilux, em 2019, com o filme "O Mistério de Henri Pick", com Fabrice Luchini e Camille Cottin. Com vários prêmios em sua carreira, Nicolas Giraud vai falar de sua experiência como ator e diretor de "O Astronauta". 

 

Festival Varilux de Cinema Francês é realizado pela produtora Bonfilm e tem como patrocinadores principais a Essilor/Varilux, a Pernod Ricard/Lillet e a Transportadora Associada de Gás (TAG), além do Ministério da Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura. Outros parceiros importantes são as unidades das Alianças Francesas em todo Brasil, a Embaixada da França no Brasil, as empresas Air France, Grupo Accor (Fairmont) além das distribuidoras dos filmes: A2, Belas Artes-Pandora, Bonfilm, California Filmes, Diamond Films, Filmes Do Estação, Mares Filmes, Synapse e Zeta Filmes, os exibidores de cinema independente/de arte e as grandes redes de cinema comercial.

 

FILMES DOS CONVIDADOS DA DELEGAÇÃO

SÉRIE

BRIGITTE BARDOT / Bardot

2022|6x52'|Drama|14 Anos

Direção: Danièle e Christopher Thompson

Elenco: Julia de Nunez, Victor Belmondo, Hippolyte Girardot, Géraldine Pailhas

Sinopse: Ao longo de seis episódios de 52 minutos, a série biográfica narra a ascensão de Brigitte Bardot na França do pós-guerra, entre 1949 e 1959. Desde os seus 15 anos até os 25, desde a sua educação rigorosa até ao seu desejo de liberdade e de amor, o seu sonho de se tornar uma dançarina, o seu casamento com o seu primeiro amor Roger Vadim, a sua lendária atuação em "E Deus… criou a mulher" até ao seu casting com Henri Georges Clouzot para o filme "A Verdade"; descobrimos como a jovem se tornou "BB" para sempre. Mas também como, ao longo do caminho, ela desencadeou tanto ódio quanto adoração.

 

Julia de Nunez, a atriz franco-argentina nasceu em 2000. Após o bacharelado em literatura, Julia de Nunez decidiu cursar teatro e cinema. Formou-se na escola particular de teatro Périmony, fundada em Paris na década de 1960 por Jean Périmony, e que formou atrizes e comediantes como Fanny Ardant, Sabine Azéma, Marlène Jobert, Camille Cottin e François Cluzet.

A diretora Danièle Thompson, que codirigiu os seis episódios da série "Brigitte Bardot" com o filho Christopher, lembra que, entre as dezenas de atrizes testadas para o papel, Julia se destacou imediatamente pela graça, pela fotogenia e pelo instinto de atuação: "Para interpretar Brigitte Bardot, dos 15 aos 26 anos, procurávamos uma atriz capaz de ilustrar a sua evolução, ou seja, uma adolescente fofa que de repente se transforma numa femme fatale de um novo tipo".

 

"Danièle e Christopher Thompson reconstroem os anos jovens de um ícone do cinema francês, Brigitte Bardot. Um deleite cinematográfico vintage com um elenco de ouro, incluindo a estreante Julia de Nunez, e o excelente Victor Belmondo no papel de Roger Vadim." - Séries Mania

 

MAESTRO(S) / Maestro(s)

2022|Drama|1h36|Distribuição:Bonfilm|Livre

Direção: Bruno Chiche

Elenco: Yvan Attal, Pierre Arditi, Miou-Miou, Caroline Anglade

Sinopse: O maestro Denis Dumar ganhou mais um prêmio nas Victoires de la Musique Classique, evento anual de premiação de música clássica francesa. Logo em seguida, seu pai, François - um brilhante maestro de renome internacional - recebe um telefonema anunciando que foi escolhido para reger a orquestra do Teatro Scala de Milão. Sendo esse seu maior sonho, ambos vibram com a notícia. Porém, Denis rapidamente se desilude ao descobrir que, na verdade, ele é quem foi escolhido para ir a Milão, e não seu pai.

 

Bruno Chiche iniciou a carreira como assistente de direção com Pierre Granier-Deferre, em Cours privé (1986); Laurent Heynemann, em Les mois d'avril sont meurtriers (1987); Robert Enrico, em De guerre lasse (1987) e Jacques Doillon, em Comédia! (1987). Trabalhou ainda como assistente de produção em Um Week-end sur deux (1990). Em paralelo, realizou curta-metragens como Morphée (1985), com Michel Aumonte, e Brasero (1989), com Yves Verhoeven e Eric Caravaca. Dirigiu seu primeiro longa, a comédia Barnie et ses petites contrariétés, em 2001. Em seguida, optou por uma mudança de estilo ao lançar Hell (2006) e Je N'ai Rien Oublié (2010). Em 2017, dirigiu L'un Dans L'autre, que obteve grande sucesso. Também atuou como produtor nos filmes Nos jours heureux (2006), de Eric Toledano e Olivier Nakache; e Une pure affaire (2011) de Alexandre Coffre.

 

"É o tipo de comédia dramática da qual você sai no ritmo. Com elegância e know-how, o cineasta Bruno Chiche [...] orquestrou a rivalidade entre pai e filho." - Le Figaro

 

MAKING OF / Making Of

2023|Drama|1H59|Distribuição: Bonfilm|Livre

Direção: Cédric Kahn

Elenco: Denis Podalydès, Jonathan Cohen, Emmanuelle Bercot, Stefan Crepon

Sinopse: Simon, um diretor experiente, começa a rodar um filme sobre a luta dos trabalhadores para salvar sua fábrica. Mas nada sai como planejado. Sua produtora deseja reescrever o final, sua equipe entra em greve, sua vida pessoal está em ruínas; e para piorar as coisas, o ator principal é um desagradável egocêntrico. Joseph, um jovem que deseja entrar na indústria do cinema, aceita dirigir o making of. Ele leva seu papel muito a sério e começa a capturar toda a confusão, provando que o making of pode às vezes ser bem melhor que o próprio filme!

 

Cédric Kahn nasceu em Paris e iniciou sua carreira como montador, em 1987, trabalhando ao lado de Yann Dedet nas filmagens de Sob o Sol de Satã (1987), de Maurice Pialat. Dois anos depois, passou para trás das câmeras para dirigir seu primeiro curta-metragem, Nadir, seguido, em 1990, de As Últimas Horas do Milênio. No mesmo ano, o jovem cineasta ganhou o prêmio de Melhor Roteiro no Festival Internacional de Cinema e dirigiu seu primeiro longa-metragem: Bar des rails (1992). Depois, apresentou Cheio de Felicidade (1994), que lhe rendeu o Prêmio Jean Vigo e o Prêmio Juventude no Festival de Cannes. Em 1998, com O Tédio, levou o Prêmio Louis Delluc, e depois produziu Roberto Succo (2001), que relata a vida do serial killer italiano. Três anos depois, lançou Sinais Vermelhos (2004), que lhe rendeu uma indicação ao Festival de Berlim e ao Independent Spirit Awards, na Califórnia. Em 2005, surpreendeu com O Avião, apresentando uma comovente história infantil. Em 2009, dirigiu Yvan Attal e Valeria Bruni Tedeschi no drama Arrependimentos. No início de 2012, apresentou seu novo filme, A Vida vai Melhorar (2011). Em 2018, lançou A Oração, que concorreu ao Urso de Ouro no Festival de Cinema de Berlim. Em 2019, seu filme Feliz Aniversário com Catherine Deneuve, Vincent Macaigne e Emmanuelle Bercot foi lançado com sucesso.

 

Stefan Crepon nasceu em 1996. Seu primeiro papel foi em 2011 ao participar como ator infantil em dois episódios da série francesa Famille d'accueil. Dedicou-se depois aos estudos e, em 2020, completou a formação profissional de atuação no renomado Conservatoire National Supérieur d'Art Dramatique (CNSAD) de Paris. Em seu último ano de formação, participou de uma peça dirigida por Alain Françon. Contracenando com Camille Razat, participou do curta-metragem de Jeanne Sigwalt, L'eau dans les yeux (2017) e, em 2018, atuou no premiado longa-metragem A Oração, de Cédric Kahn. No mesmo ano, participou da quarta temporada da série de espionagem Le Bureau des Légendes (2018-2020) transmitida no Canal+. A partir desses trabalhos, Stefan integrou o elenco de Lágrimas de Sal (2020), de Philippe Garrel, Belas Promessas (2021), de Thomas Kruithof; e de três episódios da série Lupin (2021), com Omar Sy. Em 2022, a sua atuação em Peter von Kant de François Ozon lhe rendeu uma indicação ao César de Melhor Ator Revelação.

 

O LIVRO DA DISCÓRDIA / Youssef Salem a du succès

2023|Comédia|1h37|Distribuição:Bonfilm|Livre

Direção: Baya Kasmi

Elenco: Ramzy Bedia, Noémie Lvovsky, Abbes Zahmani, Tassadit Mandi

Sinopse: Youssef Salem tem 45 anos, é descendente de uma família de imigrantes argelinos e vive em Paris onde se dedica à escrita. Após uma série de contratempos, ele decide escrever um romance parcialmente autobiográfico, inspirado na sua juventude e em particular nos tabus que rodeiam a sexualidade no ambiente onde cresceu. O livro provoca um debate público apaixonado, mas também gera uma tensão no seio da sua família, que Youssef tentará manter unida o melhor que puder.

 

Baya Kasmi é diretora e roteirista. Nascida em 1978, Baya Kasmi iniciou na cena audiovisual escrevendo roteiros para séries de televisão, e com o diretor Michel Leclerc. Em 2008, escreveu o filme para televisão Those Who Love France, dirigido por Ariane Ascaride. Seu roteiro do filme Os nomes do Amor (2010), inspirado em sua própria vida, ganhou o César de melhor roteiro original na 36ª cerimônia do César em 2011. Três anos depois, voltou aos Césares para a indicação de "Hipócrates", na mesma categoria.

Em 2015, ela dirigiu seu primeiro longa-metragem, Sou seu imediatamente, uma comédia que reúne Vimala Pons, Mehdi Djaadi e Agnès Jaoui. Além de ter coescrito roteiros com seu companheiro, Michel Leclerc, fez uma breve aparição em dois de seus filmes: J'invente rien (2006) e Uma Vida Muito Privada de Monsieur Sim (2015).

 

"Baya Kasmi opta pelo tom da comédia leve. Ela cria um ar próprio, foge do tempo de inatividade, descreve uma família entre duas culturas, mostra com precisão o lado de baixo do mundo literário" - Le Figaro

 

"Uma comédia inteligente onde Ramzy Bedia brilha." - Télérama

 

O ASTRONAUTA / L'astronaute

2022|Drama|1h50|Distribuição:Bonfilm|Livre

Direção: Nicolas Giraud

Elenco: Nicolas Giraud, Mathieu Kassovitz, Hélène Vincent

Sinopse: Engenheiro de aeronáutica na empresa Arianespace, Jim se dedicou durante anos a um projeto secreto: construir seu próprio foguete e realizar o primeiro voo espacial tripulado amador. Mas para realizar seu sonho, ele deve aprender a compartilhá-lo.

 

Ator e diretor, Nicolas Giraud começou no cinema atuando sob direção de Bruno Podalydès em O Barco da Liberdade (2001). Mas foi a partir do encontro com David Oelhoffen, para a produção do curta Sous le bleu (2004), que conseguiu visibilidade, sendo premiado no Festival de Curta-Metragem de Lille. Sua colaboração com Oelhoffen continuou em Nos retrouvailles (2007), pelo qual recebeu o Prêmio de Interpretação Masculina no Festival da Reunião. Em Comme une étoile dans la nuit (2008), de René Féret, comoveu a crítica e o público encenando um jovem afetado pela doença de Hodgkin. Também participou do filme de Jean-Xavier, Lestrade Sur ta joue ennemie (2008), e da superprodução Busca Implacável (2008) de Pierre Morel.

Após Vertigem (2009) e Je ne dis pas non (2009), foi convidado por Luc Besson para viver As Aventuras Extraordinárias de Adèle Blanc-Sec (2010), baseado na história em quadrinhos de Jacques Tardi. Voltou a trabalhar com René Féret em Nannerl, a irmã de Mozart (2010) e se juntou a Catherine Frot no elenco de Coup d'éclat (2011), de José Alcala.

Nicolas Giraud também atuou em diversos outros filmes e projetos, demonstrando seu talento e versatilidade como artista. Além disso, ele se aventurou como autor e diretor, recebendo reconhecimento por seu curta-metragem Faiblesses na Semana da Crítica do Festival de Cannes de 2009. Ele fez a transição com sucesso para um longa-metragem graças ao comovente Du soleil dans mes yeux, adaptado do romance L'impurité d'Irène de Philippe Mezescaze.

 

"Se, no estado atual da tecnologia, é impensável que um indivíduo consiga construir o seu próprio pequeno Apollo privado, ou seja, uma nave espacial orbital de um só andar, a verdade é que L'Astronaute oferece uma visão realista desta propulsão particularmente corajosa." - Le Monde

 

O DESAFIO DE MARGUERITE/Le Théorème de Marguerite

Destaque na primeira edição do Festival Internacional de Cinema de Biarritz

Filme apresentado na Sessão Especial doFestival de Cannes de 2023

 

2023|Drama|1h52 |Distribuição:Synapse|14 Anos

Direção: Anna Novion

Elenco: Ella Rumpf, Jean-Pierre Darroussin, Clotilde Courau

Sinopse: O futuro de Marguerite parece claro. Brilhante aluna de Matemática na renomada Escola Normal Superior de Paris e a única menina de sua classe, ela está finalizando uma tese que deverá apresentar diante de um público de pesquisadores. No grande dia, um erro abala todas as suas certezas e ela decide abandonar a faculdade, esquecer de vez a matemática e começar uma nova vida.

 

A diretora Anna Novion é filha de mãe sueca e pai francês. Nasceu em 1979, em Paris, e se matriculou na Universidade de Saint Denis para estudar cinema. Produziu três curtas durante esse tempo: Frédérique est française (2000), Chanson entre deux (2001) e On prend pas la mer quand on la connaît pas, (2005). Mais adiante, Anne cursou pós-graduação na Universidade Jussieu, escrevendo uma tese sobre Ingmar Bergman, intitulada "Angústia, Culpa e Desespero nas obras de Bergman". Fascinada pela Suécia, escolheu o país como cenário - tanto físico quanto moral - de seus dois longas, Les grandes Personnes (2008), apresentado no Festival de Cannes na mostra Semana da Crítica, e Rendez-vous à Kiruna (2012).

e Marguerite, uma aluna brilhante em

"O filme oferece uma reflexão sobre a busca pela identidade, a resiliência e a capacidade de se reinventar diante do fracasso." - Sortir à paris

 

O RENASCIMENTO/Un coup de maître

2023|Comédia|Drama|1h35|Distribuição:Bonfilm|Livre

Direção: Rémi Bezançon

Elenco: Vincent Macaigne, Bouli Lanners, Bastien Ughetto

Sinopse: Dono de uma galeria de arte, Arthur Forestier representa Renzo Nervi, um pintor em plena crise existencial. Os dois homens sempre foram amigos e, apesar de todos os contratempos, o amor pela arte os une. Sem inspiração há vários anos, Renzo gradualmente afunda em um radicalismo que o torna incontrolável. Para salvá-lo, Arthur desenvolve um plano ousado que acabará testando sua relação. Até onde você iria pela amizade?
 

O diretor Rémi Bezançon estudou na École Supérieure de Réalisation Audiovisuelle (ESRA) em Paris e na École du Louvre. Em 2005, lançou seu primeiro longa, O Amor Está no Ar, com Marion Cotillard, Gilles Lellouche e Vincent Elbaz, antes de se tornar conhecido por O Primeiro Dia do Resto da Sua Vida, em 2008. A trilha sonora de Um Evento Feliz (2011), seu terceiro longa, adaptado do best-seller autobiográfico de Eliette Abécassis, foi composta por seu parceiro de todas as produções, Mathieu Blanc-Francard, de nome artístico Sinclair.

"Uma história de amizade em estilo "vida ou morte", como aponta o diretor, misturada com uma sátira risível do mundo da arte contemporânea." - CNews
 

Festival Varilux de Cinema Francês é realizado pela produtora Bonfilm e tem como patrocinadores principais a Essilor/Varilux, a Pernod Ricard/Lillet e a Transportadora Associada de Gás (TAG), além do Ministério da Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura. Outros parceiros importantes são as unidades das Alianças Francesas em todo Brasil, a Embaixada da França no Brasil, as empresas Air France, Grupo Accor (Fairmont) além das distribuidoras dos filmes: A2, Belas Artes-Pandora, Bonfilm, California Filmes, Diamond Films, Filmes Do Estação, Mares Filmes, Synapse e Zeta Filmes, os exibidores de cinema independente/de arte e as grandes redes de cinema comercial.

 

Sobre a Bonfilm

Além de distribuidora de filmes, a Bonfilm é realizadora do Festival Varilux de Cinema Francês que, nos últimos 13 anos, promoveu mais de 35 mil sessões nos cinemas e somou um público de mais de um 1,1 mil espectadores. Desde 2015, a Bonfilm organiza também o festival Ópera na Tela, evento que exibe filmes de récitas líricas em uma tenda montada ao ar livre no Rio de Janeiro, e que já teve uma edição em São Paulo, além de cinemas de todo Brasil.

 

Siga Festival Varilux de Cinema Francês nas redes:

Facebook / Instagram / Youtube / Giphy / SPotify: @variluxcinefrances

Twitter: variluxcinefr

hashtag: #FestivalVarilux

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SexPrivé Club: Nova apresentadora

COLEÇÃO ANTIRRACISTA

“GAROTA FX HOT”