Catherine Zeta-Jones chega ao Lifetime como A Rainha da Cocaína


A vencedora do OSCAR estrela a produção original Lifetime sobre a complexa vida de Griselda Blanco, líder do Cartel de Medellín e pioneira no tráfico de cocaína em Miami, entre os anos 70 e 80



SEXTA-FEIRA, 26 DE JANEIRO, 21H15

Disponível em VOD e XVOD 


Lifetime apresenta com exclusividade A Rainha da Cocaína (Cocaine Godmother: The Griselda Blanco Story), longa sobre a história real de Griselda Blanco, a narcotraficante colombiana mais reconhecida no mundo das drogas que, de forma poderosa e impiedosa, comandou o tráfico de cocaína nos Estados Unidos. A produção original do Lifetime é interpretada pela atriz ganhadora do Oscar e do prêmio Tony, Catherine Zeta-Jones.

Com mais de 10 milhões de telespectadores em sua estreia nos Estados Unidos, A Rainha da Cocaína é uma história baseada na fascinante vida de Griselda Blanco, conhecida como "A Madrinha". Líder do cartel de Medellin e pioneira no tráfico de drogas, Griselda participou das guerras dos vaqueiros da cocaína (Cocaine Cowboys), em Miami, no final de década de 1970 e começo da década de 1980. Contado através dos olhos de seu filho mais novo, Michael Corleone Blanco, o filme apresenta a história de Griselda desde a idade de 17 anos, quando entrou nos Estados Unidos com um passaporte falso, a suas estratégias de narcotraficante, entre elas, utilizar belas mulheres como mulas para contrabandear drogas da Colômbia para os EUA, até se tornar a verdadeira rainha da cocaína.

Além de Catherine Zeta-Jones, A Rainha da Cocaína traz no elenco Jenny Pellicer (sua amante Carolina); Juan Pablo Espinosa e Raúl Mendez (respectivamente seu segundo e terceiro marido, Alberto e Dario), Alejandro Edda (o seu assassino Rudy), Matteo Steffan, Spencer Borgeson e José Jillian (respectivamente seus filhos Dixon, Osvaldo e Uber); e Warren Christie (o agente da DEA Jimmy).

Morando no Queens com seus três filhos, Griselda se sentiu atraída pelo dinheiro oferecido pelo mundo das drogas e rapidamente se envolveu com os traficantes locais. Griselda organizou o uso de mulheres charmosas, idosos e crianças como mulas, e criou malas com fundo falso para contrabandear cocaína da Colômbia. Com muito dinheiro fácil, seus filhos abandonaram a escola para ingressar no negócio da família. Griselda era extremamente próxima de seus filhos, que foram fundamentais para ajudar a construir seu império. No entanto, aos 36 anos, Griselda, cujo patrimônio excedia os 100 milhões de dólares, teve de lutar contra a saudade, a insegurança e a paranoia.

Posteriormente, Griselda se mudou para Miami, onde encontrou a oportunidade para expandir ainda mais seu império, o que levou à morte de seu segundo marido Alberto (Juan Pablo Espinosa), dando origem ao seu apelido: A Viúva Negra. A vontade dela de utilizar violência contra seus concorrentes de Miami fez com que seus inimigos tentassem de tudo para obter sua cabeça. Por isso, Griselda se mudou para a Califórnia, buscando escapar das tentativas de assassinato.

Em 1985, Griselda foi presa por agentes do DEA em sua casa, sem direito a fiança e condenada a mais de uma década de prisão, de onde continuou gerenciando seu negócio de cocaína. Em 2004, ela foi solta e deportada para a Colômbia, onde foi morta a tiros na rua, em plena luz do dia, em um tipo de assassinato que dizem ter sido inventado para ela: o assassinato de moto.

"Como todos vocês sabem, esta não é a primeira vez que interpreto uma mulher de ascendência latina, nem a primeira vez que interpreto uma mulher envolvida com o tráfico de drogas", afirma Catherine Zeta-Jones. "Como atriz, foi muito difícil encarnar esta mulher, que é muito diferente de mim em muitos sentidos, não somente culturalmente, como em relação às decisões que toma. Mas o que não é diferente é que nós duas somos mulheres fortes, dispostas a fazer de tudo que for necessário pelo seu trabalho - evidentemente não com armas como fez Griselda. Mas tenho que dizer que esse foi um projeto feito com muita paixão. Conseguimos levar a história de Griselda à tela do Lifetime e, mesmo que existam outros projetos de Griselda no horizonte, que serão interpretados por latinas, essa mulher tem ocupado minha vida por anos e sinto que a conheço intimamente. Trabalhei muito para concluir esse projeto e para contar essa história. E tive a benção de trabalhar com nosso maravilhoso diretor Guillermo Navarro e atores incríveis, como Juan Pablo Espinosa", conclui a atriz.

SOBRE CATHERINE ZETA-JONES

Catherine Zeta-Jones é uma atriz premiada, cujo talento vai do cinema ao teatro. Obteve um prêmio da Academia por sua interpretação da escandalosa Velma Kelly, na adaptação cinematográfica do musical da Broadway Chicago. Catherine também foi indicada para um Globo de Ouro e levou para casa o prêmio Critic's Choice, um Screen Actord Guild Awards e o prêmio BAFTA como atriz coadjuvante por sua interpretação.

Zeta-Jones ganhou o prêmio Tony como atriz principal na estreia na Broadway do musical A Little NIght Music, de Stephen Sondheim, em que interpretou a atriz Desirée Armfeldt.

Seus outros papeis de destaque incluem 11 Homens e Um Segredo, de Steven Soderbergh, O Terminal, de Steven Spielberg, junto com Tom Hanks. Catherine também atuou com George Clooney na comédia obscura dos irmãos Coen O Amor Custa Caro. Foi indicada ao Globo de Ouro por sua interpretação em Traffic, como a esposa de um narcotraficante. Nascida no País de Gales, Catherine começou sua carreira na cena de Londres e logo foi incluída na popular série de TV de Yorkshire, The Darling Buds of May, baseada nos romances de H. E. Bates. 

A Rainha da Cocaína (Cocaine Godmother, 2017, EUA)
Gênero: drama biográfico
Direção: Guillermo Navarro
Elenco: Catherine Zeta-Jones, Jenny Pellicer, Alejandro Edda, Isabella Sierra

Classificação indicativa: 16 anos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SexPrivé Club: Nova apresentadora

Cine Gloob apresenta mais de 40 filmes no mês de Maio

Filha do cantor Ritchie apresenta nova temporada do programa NOIA no canal Woohoo