Sobrevivendo Abaixo de Zero retorna ao HISTORY em nova temporada


Enfrentando baixas temperaturas e poucas horas de luz do sol, os habitantes dos bosques do Alasca devem reforçar seus preparativos para encarar um inverno que chegará antes do tempo

 

 

ESTREIA: 7/4, sábado, 23h35

 

 

 

HISTORY apesenta a quarta temporada de Sobrevivendo Abaixo de Zero (Life Below Zero), a série dramática e factual que retrata um meio de vida em condições extremas, impostas pela baixa temperatura. Cativando e emocionando milhares de telespectadores em todo o mundo, a produção se tornou líder de audiência e ganhou um Emmy Primetime, como Melhor Cinematografia para o gênero reality show (Outstanding Cinematography for Reality Programming Genre – Factual Entertainment and Lifestyle).

 

Nesta nova temporada, o HISTORYcontinuará levando às telas latino-americanas o dia a dia de pessoas que decidiram construir seus lares no Alasca, uma das regiões mais inóspitas do planeta, suportando duras temperadoras abaixo de zero. Apesar de todo o conhecimento e das ferramentas para sobreviver ao frio extremo, o clima em todo o mundo se tornou imprevisível e, desta vez, o inverno chegará antes do tempo.

 

Novamente, cada um dos personagens deSobrevivendo Abaixo de Zero deverá se dedicar a aproveitar até a última oportunidade para colher, caçar, pescar e construir antes que a terra se cubra de branco e congele tudo ao seu redor. Enfrentando desafios e imprevistos, esses habitantes do Alasca encaram batalhas diárias contra a brutalidade do frio e as escassas horas de luz solar. Os preparativos para o inverno escuro estão cada vez mais complicados e os habitantes do bosque devem lutar ainda mais para estarem o mais bem preparados o possível para os meses de isolamento extremo, em um lugar onde dependem somente deles mesmos para sobreviver.

 

No episódio de estreia, No limite, o inverno surpreende os habitantes do Alasca enquanto estes ainda estão se preparam para enfrentá-lo. Jessie Holmes persegue alces; Glenn tenta voltar para casa, apesar do mau tempo; e Sue Aikens fica em alerta diante da presença de ursos em Kavik.

 

 

SOBRE O ELENCO à

 

Chip e Agnes Hailstone – Episódios 401 – 413

Chip Hailstone e sua esposa, Agnes, de origem Inupiaq, vivem com seus sete filos à beira do rio Kobuk, no noroeste do Alasca. Chip saiu de Kalispell, Montana (EUA), para visitar o Alasca, e nunca mais voltou. Não tinha planejado ficar, mas Chip foi atraído pela oportunidade de caçar e pescar, como quando era criança. Ele é um caçador certeiro e impiedoso, e utiliza todo tipo de ferramentas para caçar: arco e flecha, lança e até rochas. Encontra no ambiente que o rodeia tudo o que precisa para ganhar a vida. Seu lema é "viver o dia de hoje, mas planejar o amanhã". Parte de viver da natureza é estar preparado, ir no ritmo do clima e os recursos naturais. Chip e sua família se movimentam com as estações do ano para rastrear a melhor caça, montando tendas sobre a neve ou o gelo, cada um fazendo um papel ativo na sobrevivência da família: caçando, pescando, esquiando, curtindo e preparando os restos dos animais para comercializar. Muitas das habilidades de Chip  e Agnes foram passadas a seus filhos, dando a eles a capacidade de sobreviver e continuar vivendo segundo as tradições de seus ancestrais Inupiaq. Eles caçam ursos, bisões, caribus, lobos, raposas, morsas, peixes, aves aquáticas e até mesmo baleias e focas. Utilizam o animal em sua totalidade, incluindo a pele, os dentes e os ossos para fazer artesanatos para vender. Chip está muito contente de ter conseguido chegar a este mundo. Quando chegou era um estrangeiro. Agora, este é seu lar. Com sua família ao seu lado, Chip não apenas sobrevive no bosque, como prospera.

 

Sue Aikens – Episódios 401 – 413
Sue AIkens vive a 500 milhas da cidade mais próxima e a 80 milhas da estrada, e seus vizinhos são 83 ursos pardos. Ela é dona e administradora do Kavik River Camp, um acampamento base para grupos de caçadores. Tem passado a maior parte de sua vida no Alasca, e ama  compartilhar a experiência única de seu acampamento durante e temporada de caça, enquanto no resto do ano vive sozinha. Sue é uma pessoa muito dura, sobreviveu a um ataque de urso pardo e teve a sorte de sair viva para contar. Ela está ciente de que está no território dos ursos; não o contrário. Algumas mulheres colecionam sapatos, Sue coleciona balas, cervejas, sangue e tripas. Como a terra está congelada o ano todo, ela não tem como escavar um poço para água, e se vê obrigada a tratar a agua do rio; e quando o gerador elétrico quebra, é ela que tem de repará-lo. Durante a temporada de caça, ela hospeda os caçadores e lhes oferece duchas quentes e comida, mas, entre outubro a maio, enfrenta sozinha as temperaturas geladas, ventos penetrantes, ursos selvagens, mantendo o forte. O tempo não tem significado para Sue. Não se sente sozinha, simplesmente vive sozinha. Ainda que considere as raposas do ártico suas amigas, sabe que ninguém está ali para ajudá-la. Seu lema: "Se dói, não pense nisso".

"Há coisas para serem vistas, experiências, é emocionante quando chegam os desafios, você os supera, e sempre se pode sair a qualquer hora do dia ou da noite no inverno e ver essas mágicas auroras boreais", comenta Sue Aikens. "Nunca me aborreço com o que o mundo tem a oferecer".

Andy Bassich – Episódios 407 – 412
Andy Bassich mora perto do rio Yukon, onde a única maneira de entrar ou sair do local é num bote ou moto de neve. Andy vivia em Washington, EUA, e se mudou para o Alasca para explorar uma zona que lhe era desconhecida. Passou dois anos vivendo em Anchorage antes de se mudar para o bosque. Até a sua chegada, este era um lugar inóspito. Ele se estabeleceu na região partindo de um propósito de vida. Para viver e sobreviver no bosque do Alasca, Andy aprendeu a utilizar ao máximo a matéria-prima oferecida pelo ambiente. Vivendo a milhas afastado da civilização, Andy dirige uma escola de sobrevivência e mushing (trenós puxados por cães). Tem uma equipe de 12 cães para trenós, que utiliza para transportes e trabalhos ao redor de sua propriedade. Andy caça, coleta, cultiva e prepara 80% do que come e bebe - alce americano, urso negro, caribu, lobo, salmão, montanhas de vegetais e cerveja. Seu apelido é McGyver. O conhecimento de Andy sobre sobrevivência é completamente autodidata e ele está disposto a fazer qualquer coisa com suas mãos, suas próprias balas, facas, cerveja e até mesmo construir sua própria casa. Andy pode pelar e tirar as presas de um alce americano usando somente sua Leatherman. Apesar de ser um lugar idílico, os perigos enfrentados neste local isolado são reais, por isso é preciso estar preparado para o que vier, como os predadores próximos e a ameaça constante de que o rio Yukon transborde e inunde sua casa. Ainda assim, o Alasca remoto, à beira do rio Yukon, é o seu sonho e o melhor lugar para viver.

Glenn Villeneuve – Episódios 401 – 413
Glenn Villeneuve se mudou de Vermont para o Alasca no ano 2000. É um caçador de subsistência primitiva que vive ao lado de um lago em Brooks Range, rodeado de montanhas. Está alocado a 200 milhas ao norte de Fairbanks, e tem de caminhar 60 milhas para chegar à estrada mais próxima. Glenn realmente deixou a civilização para trás, e não tem vontade alguma de trazê-la para o bosque. Mora em uma cabana primitiva, sem eletricidade, água corrente ou calefação, a não ser o calor produzido pela lenha que ele corta. Glenn é um apaixonado pelo estilo de vida primitivo; não utiliza motos de neve, nem motosserras; tudo o que faz é produto de seu próprio sangue, suor e lágrimas. Viaja e caça a pé, incluindo as 60 milhas até a estrada mais próxima; corta a lenha com um machado, corta o gelo com um cinzel de mão, transporta os cachorros com um trenó. 100% de seus recursos provêm da terra, e da caça de alce americano, caribu, porco-espinho, perdizes brancas e ovelhas. Recolhe frutas silvestres, raízes e folhas, mas não pode cultivar seus vegetais por culpa da altitude em que vive e por morar próximo a uma alcateia de 20 lobos, que rodeiam o lago. Utiliza os lobos como ajuda para rastrear os caribus e outras presas, e aos poucos recolhe a carne que sobra quando um lobo caça outro animal. Glenn vive junto à natureza e utiliza o sol para saber as horas e o lago para reconhecer as estações. Encontrou uma vida de tranquilidade e sobrevivência em Brooks Range.

Jessie Holmes – 401 – 406 e 413
Jessie Holmes vive em Nenana, nas margens do rio, junto com sua equipe de 44 cães de trenó que ele criou e treinou. Deixou seu lar em Alabama aos 16 anos e chegou ao Alasca a bordo de trens de carga. Nos anos em que esteve no bosque, Jessie adquiriu muitas destrezas dos velhos habitantes da região, como a carpintaria, que lhe permitiu não apenas manter um estilo de vida remoto, como ganhar a vida construindo botes, moinhos de pesca, trenós e cabanas. Jessie se esforça para manter as tradições do Alasca, como musher de cães, participando de corridas de trenós. Considera que ter cães de trenós é um estilo de vida, e aproveita para transportar madeira, fazer passeios, colocar armadilhas e correr competitivamente. Pesca em média três mil salmões a cada temporada utilizando um moinho de pesca no verão e no outono para alimentar sua equipe de cães e a si mesmo. Durante o resto do ano, busca outros alimentos, como caribu, alce americano, coelho e castor. Completa sua receita de inverno colocando armadilhas para capturar peles valiosas como glutão, rato almiscarado e lince. Conta com os vizinhos da comunidade de Nenana para comercializar e trocar materiais para manter seu estilo de vida remoto. Jessie vive modestamente, é determinado e acredita que não há nada que não possa fazer; seu lema é "se quebrar, conserte, não há outra opção". Como corredor de longas distâncias, tem muito respeito por sua equipe de cachorros, tanto como competidores e atletas quanto colaboradores, para que mantenha uma vida de liberdade no bosque. Ele conta com eles, e vice-versa. Jessie é extremamente precavido quanto aos perigos do rio Nenana, que já tirou muitas vidas; respeita o medo mas não pode viver sua vida aterrorizado.

 

Classificação indicativa: 16 anos

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho