Assinatura da revisão dos contratos da telefonia fixa ainda sem data


O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), informou, nesta quinta-feira, 29/6, que a revisão dos contratos de concessão da telefonia fixa, que ocorre a cada cinco anos, ainda não será assinada.

Segundo o secretário de Telecomunicações do MCTIC, André Borges, a proposta do novo Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU), que é um anexo dos contratos de concessão, se baseia no PLC 79/2016, que altera a Lei Geral de Telecomunicações. O PLC 79 ainda está em análise no Senado e no Supremo Tribunal Federal.

Além disso, de acordo com Borges, a expectativa é de uma aprovação do PLC 79 em curto espaço de tempo, para que o saldo possa ser investido em banda larga. A minuta do novo PGMU deve ser colocada em consulta pública nos próximos dias, acrescentou o secretário.

Há perda às prestadoras com a manutenção do atual Plano, uma vez que o serviço de voz da telefonia fixa está em desuso, analisou Borges. É necessário a adoção do PLC 79 para trocar as obrigações de voz para a banda larga, informou.

Ainda, de acordo com o presidente da Anatel, Juarez Quadros, as concessionárias de telecomunicações não concordaram com a obrigação de investimentos da ordem de R$ 3,5 bilhões de reais que, segundo cálculos do órgão regulador, se referem ao saldo resultante da alteração das obrigações estabelecidas no PGMU. De acordo com a Resolução Anatel nº  678/2017, o valor do saldo deverá constar nos novos contratos. As concessionárias solicitam a revisão do valor.

--
Line-UP - Divulgação de Programação e Distribuição de Canais de TV.
http://www.lineup.net.br
http://blog.lineup.net.br
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

“QUILOS MORTAIS” CHEGA À QUINTA TEMPORADA COM NOVAS HISTÓRIAS DE LUTA CONTRA OBESIDADE MÓRBIDA

INVESTIGADOR PARTICULAR FAMOSO POR SUAS ARTIMANHAS, BRIAN WOLFE RECONSTITUI CASOS DE SEU ARQUIVO EM SÉRIE INÉDITA

BIS estreia terceira temporada de "Versões" em 19 de julho