Maurício Manfrini, Marisa Orth e Babu Santana estrelam "Central de Bicos", humorístico inédito do Multishow, que estreia dia 13 de setembro


Marisa Orth, Maurício Manfrini e Babu Santana - Créditos: Juliana Coutinho / Divulgação Multishow

O mais novo empreendimento da Baixada Fluminense promete entreter com as maracutaias de uma sociedade promissora: a Central de Bicos, que chega ao Multishow no dia 13 de setembro, às 22h30. O elenco principal é formado por um trio que vai arrancar muitas risadas do público: Maurício Manfrini dá vida a seu já conhecido personagem Paulinho Gogó. Marisa Orth, em sua estreia no canal, é Kellen Pescoção, e Babu Santana, o Manteiguinha.

"O cenário é lindo, muito bem feito, os figurinos estão de chorar de dar risada, muito bons! Eu acho que as pessoas têm curiosidade, porque é o mundo do Paulinho Gogó, né, como se fosse o mais perto do personagem do Maurício. Até chamo ele de Paulinho de Gogó porque são os personagens que sempre faziam parte da narrativa dele, o Biricutico, o Escovinha… enfim, é difícil a gente falar 'acho que vão gostar disso'. Vamos ver o que o público vai achar!", considera Marisa Orth.

Paulinho Gogó é o irmão por parte de pai da divertida Kellen Pescoção. Sendo rebenta do segundo casamento, Kellen herdou de supetão mais da metade da casa onde mora na Baixada e é claro que Gogó não ficaria de fora do inventário - mas, a ele, só restou a garagem! Indignado, convenceu sua meia-irmã a entrar na sociedade da "Central de Bicos", que promete gerar muito lucro à família.

Kellen aceita a parceria, mas já de olho em uma oportunidade de emprego para seu marido encostado, o Manteiguinha. Ele assume o negócio ao lado do cunhado para realizar a maior vontade de sua mulher que é conquistar a sonhada casa de praia em Jaconé. O problema é que o negócio, que se apresenta como promissor, não tem tanta procura e, com poucos clientes, restou a Gogó e Manteiguinha buscarem novos serviços que fogem um pouco de seus conhecimentos.

"Me diverti fazendo o programa num todo. Sempre falo que, apesar do momento difícil de pandemia, mas com a equipe seguindo todos os protocolos de segurança, todo mundo se cuidando, todo mundo tomando conta um do outro, a gente conseguiu fazer o programa e todo mundo se divertir", conta Maurício Manfrini. "O público poderá se questionar sobre o que faria em determinadas situações, já que esse trio vem pra fazer sorrir, mas sempre com um pouco de conflito também. Afinal, a vida é muito essa mistura (risos)", completa Babu Santana.

Serão 20 episódios exibidos de segunda a sexta, sob direção de Silvio Guindane e produção Panorâmica. O humorístico inédito conta também com Carlota (Rosane Gofman), Luiz Perna Torta (Gillray Coutinho), Biricutico (Paulo Mathias), Dalvanira (Maria), Helinho Gastrite (Beto Chamego) e Escovinha (Evaldo Macarrão), no elenco.

CENTRAL DE BICOS
Estreia: 13 de setembro às 22h30 no Multishow
Exibição: De segunda à sexta às 22h30 no Multishow


PING-PONG COM OS PROTAGONISTAS

BABU SANTANA
O que o público pode esperar do inédito Central de Bicos?
BABU SANTANA - Muita risada e verdade, porque é isso que vemos nesse programa. Situações corriqueiras que muitas vezes nos identificamos. O público poderá se questionar sobre o que faria em determinadas situações, já que esse trio vem pra fazer sorrir, mas sempre com um pouco de conflito também. Afinal, a vida é muito essa mistura (risos).

Conte um pouco da sua relação com o humor e do que, na sua opinião, ele representa no dia a dia das pessoas.
BABU SANTANA - Acredito que o humor é um respiro que precisamos no dia a dia. Ainda mais em tempos tão desafiadores, podermos fazer a entrega de um produto exclusivo e cheio de graça, me empolga muito como ator. O humor é algo que inclui, que deixa a gente mais leve, permite, também, a reflexão. Conseguirmos sorrir e fazermos o outro sorrir, torna a vida mais significativa.


MARISA ORTH
É o seu primeiro trabalho no Multishow. O que isso representa para você? Havia o desejo de trabalhar com humor no canal?
MARISA ORTH - Sim, de alguma maneira eu tinha curiosidade sim, tinha essa vontade. Tenho muitos amigos que estão trabalhando no canal, se divertindo bastante e vejo que o público tem acompanhado muito também. É claro, qual artista que não quer conhecer uma plataforma que tá dando certo, né? O convite foi muito legal, o Gogó eu gosto muito dele, acho um ator muito bacana, o Babu Santana, o Paulinho Mathias, o Evaldo Macarrão, a Maria, o Gillray, tem muita gente boa ali. O próprio Silvinho Guindane que faz tempo que eu tô para fazer qualquer coisa com ele, a gente já tentou várias outras mas por outras razões acabou não dando certo então agora eu to de fato, realizando essa vontade.

O que você acha que o público mais vai gostar no programa?
MARISA ORTH - O cenário é lindo, muito bem feito, os figurinos estão de chorar de dar risada, muito bons! Eu acho que as pessoas têm curiosidade, porque é o mundo do Paulinho Gogó, né, como se fosse o mais perto do personagem do Maurício. Até chamo ele de Paulinho de Gogó porque são os personagens que sempre faziam parte da narrativa dele, o Biricutico, o Escovinha… tem a Kellen Pescoção que foi inventada, batizada por ele - porque não tinha o Pescoção, ele que batizou e eu até perguntei se era porque eu sou alta igual uma girafa e ele disse que não. Como ele era Gogó, eu seria a Pescoção porque a gente é irmão (risos). Eu acho que o personagem do Maurício, o Paulinho Gogó, tem muitos fãs, é como se ele tivesse um universo próprio que é muito atraente e tem a sua área de excelência que é ele contando as causas, as piadas, as histórias que todo programa tem. É realmente um chamariz porque ele faz muito bem, ele é muito engraçado! Tem muitas atrações também, a Rosane Gofman está muito maravilhosa… enfim, é difícil a gente falar "acho que vão gostar disso". Vamos ver o que o público vai achar!


MAURÍCIO MANFRINI
Para você, quais são os diferenciais de Central de Bicos para os demais humorísticos que você já fez?
MAURÍCIO MANFRINI - O diferencial está sendo o formato do programa. "Central de Bicos" é um formato diferente, apesar de eu já fazer o personagem Paulinho Gogó há muitos anos, desde 1997. Eu fiz muitos anos na Super Rádio Tupi, diariamente no programa "Patrulha da Cidade", depois na "Escolinha do Professor Raimundo", na Globo com o Chico Anysio e depois 17 anos em "A Praça É Nossa", com o Carlos Alberto de Nóbrega. No filme "No Gogó do Paulinho" eu pude dar vida aos personagens que eu criei e contava as histórias de cada um. O Biricutico, o Gastrite, o Manteiguinha, o Luis Perna Torta eu pude dar vida no filme e agora também no programa. Tá sendo muito diferente nesse sentido. Eu tive que acrescentar a Kellen Pescoção, que é irmã do Paulinho, antes eu nunca havia contado sobre ela e ela foi criada para o "Central de Bicos". O diferencial dos outros programas de humor é contracenar com outros atores dando vida aos personagens fictícios que faziam parte somente das histórias do Paulinho Gogó.

Tem algo no programa ou no seu personagem que você se identifique?
MAURÍCIO MANFRINI - Me identifico com o Paulinho Gogó, que eu fiz quase durante toda a minha vida artística, esse tá sendo o ponto forte identificação e não tem como fugir. É a identificação plena com o programa e foi muito legal de descobrir essa identificação em momentos diferentes, em histórias diferentes que iam aparecendo na vida real, entre aspas, claro... mas histórias que eu só contei e agora elas foram se materializando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fenômeno nas redes sociais, Maru Karv estreia como apresentadora no “Manda Nudes”

Lifetime Movies: A História de Chris Porco resgata caso de filho que matou o pai e desfigurou a mãe

SexPrivé apresenta ‘ménage à trois ao vivo’ em feira virtual de negócios do mercado adulto