Linguagem de sinais americana: 4 filmes e séries sobre a língua de sinais e cultura surda



Dia nacional da educação de surdos é comemorado em 23 de abril



Hoje no Brasil, segundo a pesquisa realizada em 2019, pelo Instituto Locomotiva e a Semana da Acessibilidade Surda, existem 10,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva. Desse total, 2,3 milhões têm deficiência severa. A surdez atinge 54% de homens e 46% de mulheres. Nove por cento das pessoas com deficiência auditiva nasceram com essa condição e 91% adquiriram ao longo da vida, sendo que metade foi antes dos 50 anos. Entre os que apresentam deficiência auditiva severa, 15% já nasceram surdos. Do total pesquisado, 87% não usam aparelhos auditivos.

Desde 2002, a comunicação dos surdos é oficial no país, considerada uma linguagem única e expressiva que não é a "língua portuguesa em gestos", mas sim, uma língua à parte. Através de gestões, posicionamento das mãos, orientação e expressões faciais a comunidade surda mantém sua comunicação. Desde 2005, os cursos que envolvem linguagens, licenciaturas, pedagogia e fonoaudiologia tem em suas grades a obrigatoriedade de terem o ensino de libras em seu currículo.

"Muitos surdos, se especializam em outras línguas de sinais. A Língua de Sinais Americana, a ASL, por exemplo, é reconhecida em eventos oficiais e diplomáticos. Ela compreende um campo, visual e espacial. Diferente das pessoas ouvintes que falam através da oral-auditiva", explica Augusto Jimenez, Diretor Nacional do Centro de Formação Minds Idiomas e psicólogo educacional.

A Língua de sinais americana é utilizada na América do Norte, alguns países da Europa, África e Ásia. Por ter ultrapassado barreiras geográficas, é considerada a língua oficial, em reuniões diplomáticas.

Para conhecer um pouco mais sobre a cultura surda e a Língua Americana de Sinais, Augusto Jimenez, Diretor Nacional da Minds Idiomas e psicólogo educacional separou 4 filmes:

• Tamara (Curta Metragem)

O curta Tamara é uma animação que conta a história de uma menina Surda que sonha em ser bailarina, e seu sonho considerado impossível para a maioria das pessoas, mas para ela não.

Um sonho que no olhar de muitos parece impossível. O filme é curtinho mas aborda uma questão muito simples e importante: o Surdo tem o mesmo potencial que qualquer outro, tudo vai depender das oportunidades e do olhar que lançamos sobre ele.

• Trocadas no nascimento (Série)

A série Switched at Birth (que em Português significa Trocadas no Nascimento) conta a história de duas adolescentes que foram trocadas na maternidade. Bay Kennish cresceu em uma família rica, com seus pais e um irmão. Enquanto isso, Daphne Vasquez cresceu filha de mãe solteira. Além disso, a garota contraiu meningite quando criança, sendo então surda como sequela da doença. A situação se torna dramática quando as famílias se encontram e precisam aprender a viver juntas, para o bem das garotas.

• The hammer (Filme)

The Hammer, filme biográfico dirigido por Oren Kaplan, conta a história de Matt Hamill, um dos mais emblemáticos lutadores surdos dos Estados Unidos. Nascido em Loveland (Ohio, EUA), e incentivado desde criança por seu avô, Matt e fez do wrestling (a luta livre) algo central em sua vida, não poupando esforços para ser o melhor. Quando jovem, depois de perder uma bolsa de estudos na Universidade de Purdue, Hamill ingressou na RIT (Rochester Institute of Technology), onde - além de brilhar em campeonatos nacionais - estreitou contato com o mundo surdo (e com a Língua de Sinais Americana) e conheceu Kristi, militante Surda por quem logo se apaixonou. Estrelado por Russel Harvard, o filme conta com a participação de Shoshannah Stern, Michael Anthony Spady e Lexi Marman, também surdos, e traz à tona uma série de questões relacionadas ao dia-a-dia de pessoas surdas.

• Um lugar silencioso (Filme)

Em uma fazenda nos Estados Unidos, uma família do Meio-Oeste é perseguida por um alienígena. Para se protegerem, eles devem permanecer em silêncio absoluto, a qualquer custo, pois o perigo é ativado pela percepção do som. A filha é surda, e eles têm que utilizar a língua americana de sinais para se comunicarem.

• A criança silenciosa (Filme)

The Silent Child é um filme de drama em curta-metragem estadunidense vencedor do Oscar de 2018 dirigido por Chris Overton. Escrito e protagonizado por Rachel Shenton e distribuído pela Slick Films, segue a história Libby, uma garota surda de quatro anos que aprende a língua de sinais por uma assistente social.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fenômeno nas redes sociais, Maru Karv estreia como apresentadora no “Manda Nudes”

RELACIONAMENTO EXPLOSIVO DE CHANTEL E PEDRO É TEMA DE SÉRIE INÉDITA NO TLC

SÉRIE INÉDITA DO TLC ACOMPANHA CASAIS QUE COMEÇARAM SUAS HISTÓRIAS DE AMOR DENTRO DA CADEIA