Documentário 1538°C - The Iron Human conta a história de quase morte e superação de atleta baleado em assalto

Um assalto a ciclistas, um tiro certeiro, dezenas de cirurgias e meses em coma – uma história que poderia acabar em ressentimento e dor é revertida pela resiliência de um triatleta ribeirão-pretano, se transforma no longa 1538°C - The Iron Human, da Grattitude Filmes, que será lançado em breve no Brasil.

A história de superação do triatleta amador e profissional do mercado Sérgio Buonarotti ganha o vídeo na primeira obra produzida pela novata Grattitude Filmes, dos roteiristas/jornalistas Lucas Bretas e Samuel Prisco.  Foram meses de trabalho na construção do longa-metragem que remonta por meio de depoimentos, imagens e encenações, o drama vivido pelo player do mercado financeiro, que começa num assalto à equipe de ciclismo, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, numa manhã de sábado de 2011.  O documentário 1538°C - The Iron Human, é o primeiro trabalho da Grattitude e promete emocionar e estimular o público ao exibir a trajetória de Buonarotti, desde a entrada no Hospital das Clínicas, vítima de uma bala que transfixou o tórax, até a disputa da prova de Iron Man, seis anos depois, em Florianópolis.

Numa produção que mistura entrevistas, imagens da época do incidente e simulações, o longa impressiona pela riqueza detalhes e pela captação de sentimentos de cada personagem envolvido no resultado do fatídico assalto aos ciclistas, em uma rodovia que corta um bairro violento da periferia da cidade, dos quatro meses de internação – três deles em coma - inflados de cirurgias para sobreviver - 64 no total -  até a conquista, seis anos depois, de uma das provas esportivas que mais exige resistência e preparo do atleta – o Iron Man -  com 3,8km de natação, 180km de ciclismo e mais 42km de corrida. "Esse roteiro me proporcionou uma profunda retrospectiva de tudo que minha família e amigos viveram junto comigo, depois daquele assalto durante o treino de bicicleta e me ajudou a entender onde está a minha real força e resistência", afirma o personagem central do documentário.

O diretor e roteirista, Lucas Bretas, conta que o longa se preocupou em mostrar, além do drama vivido pela família Buonarotti, diante de um país extremamente violento, da belíssima história do personagem, o esporte como ferramenta de motivação e superação. "O personagem é um exemplo vivo do triunfo sobre as desventuras e nos proporciona a lição de que na vida precisamos ter resiliência para superar o adverso. Sérgio poderia ter padecido caso tivesse se entregado, mas em vez disso, foi determinado a virar o jogo", anota.

Bretas complementa que, além das questões anteriores, é preciso destacar o lado pessoal e humano, no contexto de que Sérgio é um executivo de mercado muito bem-sucedido e estava a parte de uma realidade que parecia inimaginável em sua rotina. "Estamos falando de alguém acostumado a dar e não receber ordens, de mandar e não de pedir, de quem se criou na iniciativa privada e de repente se viu preso a um hospital público, de quem entendeu e aprendeu a necessidade de perdoar. Mais do que um paciente recuperado, Sérgio deixou o hospital como um ser humano melhor", aponta.

O título e sua força

O documentário foi batizado de "1538°C - The Iron Human". Conforme explica o coordenador executivo, Samuel Prisco, essa é a temperatura de fusão do ferro, um dos componentes sólidos mais resistentes da natureza. "O título remete ao nome da prova Iron Man (homem de ferro em português) e também ao fato de que o protagonista teve a resistência e a resiliência para suportar condições clínicas extremas, como se fosse realmente alguém feito de ferro", enfatiza.  Dez anos depois, o desfecho dessa fascinante e dramática história será lançado em novembro de 2021, em Ribeirão Preto e já se prepara para a participação em festivais pelo país e no exterior. "Nossa expectativa é uma boa avaliação e representarmos bem nossa cidade em festivais nacionais e o Brasil em eventos externos", adianta o diretor executivo.

Grattitude Films, uma história

Esse é o primeiro trabalho da Grattitude Filmes, projetada e estruturada pela iniciativa de seu diretor, Lucas Bretas e que, mais tarde, cresceu em força de trabalho e tamanho com a chegada de seu diretor executivo, Samuel Prisco.  Experientes na produção jornalística por suas habilidades desempenhadas durante 20 anos em emissoras de TV em diversas partes do Brasil, a dupla costuma dizer que a produtora nasceu das reportagens especiais, que os ensinaram a contar as melhores histórias, com profissionalismo, e da união de bons ideais. "A criação da Grattitude nos afirmou que pessoas boas podem se juntar para um propósito bom", admite o diretor de 1538°C - The Iron Human. Ele ainda completa: "Saber que nossa ideia inicial se ampliou de um curta para um longa e que passado tanto sofrimento, horas e mais horas longe da nossa família, hoje podemos nos orgulhar de sermos portadores de uma história para contar. Uma história além da própria história".

Ficha Técnica

Direção e Roteiro: Lucas Bretas
Coordenador Executivo: Samuel Prisco
Produção Executiva: André Castro e Marcos Castro (Gêmeos do Cinema)
Direção de Fotografia: Alexandre Sá
Edição/Finalização: Júnior Pieshko

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fenômeno nas redes sociais, Maru Karv estreia como apresentadora no “Manda Nudes”

Lifetime Movies: A História de Chris Porco resgata caso de filho que matou o pai e desfigurou a mãe

SexPrivé apresenta ‘ménage à trois ao vivo’ em feira virtual de negócios do mercado adulto