Natiruts, Ziggy Marley e Yalitza Aparicio evocam a união das Américas em nova música

"América Vibra" é o primeiro lançamento do projeto de inéditas da banda Natiruts

"No queremos hambre, nosotros somos vida. No queremos armas, nosotros somos paz. No queremos odio, nosotros somos amor", declama Yalitza Aparicio em trecho de "América Vibra"

Escute: https://SMB.lnk.to/AmericaVibra

Assista ao clipe: https://youtu.be/Iu3pXAAarrw 

Começando o ano com uma potente canção e clamando por um 2021 melhor, a banda brasileira Natiruts convidou um dos maiores nomes do Reggae mundial Ziggy Marley e a atriz mexicana indicada ao Oscar Yalitza Aparicio para a colaboração "América Vibra". Mais do que um hino do Reggae, a canção é um manifesto que evoca a união dos povos da América, reivindicando um mundo mais justo e amoroso. Em um momento de dualidade e de muros, físicos e estruturais, que nos separam, "América Vibra" vem como um urgente pedido de transposição de barreiras.

A canção chega nesta quarta-feira (20), dia emblemático que marca uma mudança importante para o mundo, e o single traz uma vibração por um continente mais igualitário. Composição de Alexandre Carlo e Ziggy Marley, interpretada em português, inglês e espanhol, "América Vibra" conta com um premiado time: na masterização, Felipe Tichauer, com 26 indicações ao Latin Grammy e ao Grammy Americano no currículo; na mixagem, a canção traz Tony Maserati, um dos mais bem-sucedidos engenheiros de som do mundo, com trabalhos para artistas como Beyoncé, Ariana Grande, Adam Lambert, entre outros, além de 10 indicações ao Grammy. A canção conta ainda com arte de capa exclusiva desenvolvida pelo Kobra, um dos mais reconhecidos muralistas da atualidade, com obras em cinco continentes.

Com direção de Rick Brombal, o clipe da música é uma emocionante profusão de imagens icônicas das Américas (Brasil, México e USA), envolvidas pela natureza, como em uma espécie de oásis, libertos do meio hostil que os cerca. Em coro, Natiruts, Ziggy Marley e Yalitza Aparicio fazem o apelo de união dos povos.

Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts, falou sobre o contexto que levou a banda a vibrar por uma América mais justa: "Existem muros invisíveis na sociedade, criados principalmente por experiências entre as relações humanas do passado e que têm reflexo no nosso dia a dia. No caso do Brasil, e principalmente das Américas, a principal relação que causa esses muros invisíveis é a do processo colonizatório, que favoreceu uma porção e desfavoreceu enormemente outras". Ele destaca o importante papel da música neste processo: "A música é uma ferramenta importantíssima, porque muda a frequência vibratória, a energia das pessoas, faz com que as pessoas que estão sem esperança passem a acreditar no seu potencial. A música se torna bastante importante nesse sentido, de transpor esses muros invisíveis, e é isso que a nossa canção propõe e a gente espera que ela consiga cativar o coração e a mente de muitas pessoas, não só no Brasil, não só nas Américas, como no mundo todo".

Ziggy Marley falou sobre a parceria: "É um grande prazer colaborar com Natiruts e Yalitza na música ´América Vibra´. Minha letra fala sobre perceber o que está acontecendo com o meio ambiente e querer ver mais justiça no mundo. Se não fizermos algo, nada vai acontecer, então temos que fazer. Eu tenho que fazer algo, você tem que fazer algo - é disso que estamos falando. Se o futuro não estiver certo, eu vou fazê-lo dar certo. Não podemos esperar por alguém que faça isso, nós temos que ir e fazer. Temos que cuidar do planeta, cuidar uns dos outros para construir um mundo melhor juntos. América vibra!".

"A importância de ´América Vibra´ é mostrar que na música não existem barreiras e que é um meio universal no qual você pode transmitir mensagens de paz, assim como a união nos faz mais fortes diante das adversidades. Quando há respeito entre as pessoas, você poderá ver uma verdadeira transformação", explica a atriz Yalitza Aparicio.

"Quando a Sony me convidou para participar, foi uma emoção muito grande, pois sempre fui fã de reggae, nunca acreditei que o Ziggy e o Natiruts pudessem me escolher para participar desta colaboração. Aceitei imediatamente, ainda que com medo, já que ao fazer parte deste meio somos alvo de todo tipo de crítica. Procuro focar mais no objetivo de cada projeto, pois, como sabem, sempre aceitei os desafios que me chegam e ainda mais quando um deles vem acompanhado de uma mensagem tão forte e esperançosa", finaliza.

Dentre os próximos passos, a canção faz parte do lançamento global do projeto de músicas inéditas que estará em todas as plataformas digitais até o início de abril. Banda consagrada, com mais de 25 anos de história, o Natiruts traz em suas composições a habilidade de falar de esperança e energia positiva sem cair na armadilha da alienação.

Sobre Ziggy Marley

Cantor, compositor e produtor, oito vezes vencedor do GRAMMY®, Ziggy Marley lançou quinze álbuns aclamados pela crítica. Sua imersão precoce na música foi aos dez anos de idade, quando acompanhava as sessões de gravação de seu pai, Bob Marley.  Depois de oito discos com os The Melody Makers e três prêmios GRAMMY®, ele deu início a uma lendária carreira solo em 2003, com Dragonfly. Recebeu o prêmio GRAMMY® de "Melhor Álbum de Reggae" em 2006 ("Love Is My Religion"), em 2013 ("In Concert"), em 2014 ("Fly Rasta") e em 2016 pelo autodenominado "Ziggy Marley" – que marcou sua quarta estreia consecutiva em primeiro lugar na parada de álbuns de reggae da Billboard. Seu primeiro álbum infantil, "Family Time", recebeu o GRAMMY® 2009 de "Melhor Álbum Infantil. Aproveitando sua criatividade expansiva, ele criou a história em quadrinhos MARIJUANAMAN e lançou a Ziggy Marley Organics – uma inovação em óleos de coco sem OGM e lanches de sementes de cânhamo. Como uma extensão de sua paixão por saúde e vida sustentável, Marley publicou o livro de culinária Ziggy Marley & Family, em 2016.

Sobre Yalitza Aparicio

Vinda de uma origem humilde, de Tlaxiaco, cidade do interior do México, a atriz de origem indígena ganhou destaque internacional após protagonizar o filme "Roma", dirigido pelo aclamado diretor Alfonso Cuáron. Mesmo sem nenhuma experiência atuando, Yalitza fez história ao ser a primeira artista indígena mexicana a ser indicada ao Oscar como "Melhor Atriz" após ganhar aclamação como Cleo, uma babá que cuidava de uma família de classe média na Cidade do México dos anos 1970. Depois de tamanha repercussão, Yalitza foi nomeada uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista TIME, não apenas por seu trabalho como atriz premiada, mas também por sua atuação como filantropa e defensora da causa indígena. Yalitza foi nomeada Embaixadora da Boa Vontade da UNESCO para os Povos Indígenas em 2019. Em 2020, foi uma das apresentações principais do Grammy Latino, onde foi premiada pela atuação em "Roma".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fenômeno nas redes sociais, Maru Karv estreia como apresentadora no “Manda Nudes”

RELACIONAMENTO EXPLOSIVO DE CHANTEL E PEDRO É TEMA DE SÉRIE INÉDITA NO TLC

SÉRIE INÉDITA DO TLC ACOMPANHA CASAIS QUE COMEÇARAM SUAS HISTÓRIAS DE AMOR DENTRO DA CADEIA