DIRIGIDO POR JOÃO BATISTA DE ANDRADE, TV CULTURA ESTREIA DOCUMENTÁRIO INÉDITO SOBRE ROLANDO BOLDRIN



EU, A VIOLA E DEUS, QUE VAI AO AR NO DIA 7 DE MAIO, RETRATA A VIDA E A OBRA DO ARTISTA QUE COMPLETOU 85 ANOS

A TV Cultura estreia no sábado, dia 7 de maio, às 22h, o documentário inédito produzido pela emissora Eu, a Viola e Deus, dirigido pelo cineasta, jornalista e escritor João Batista de Andrade, que retrata a vida e a obra do ator, cantor, compositor e apresentador Rolando Boldrin.

Com o título que vem de uma das composições do próprio Boldrin, Eu, a Viola e Deus, o documentário apresenta a viagem do artista, um tanto solitária, na música e nas artes desde a infância, e suas conquistas nas diversas áreas da vida profissional. "Gosto muito do Boldrin e ele sempre emociona. O filme traz diversos momentos dessa emoção", revela João Batista de Andrade.

O diretor comenta que aquilo que o atrai na vida e na obra de Boldrin é a sua capacidade criativa em muitas formas de atuar. "Cantor, compositor, apresentador e ator. E em tudo carrega no peito a criança revelada na dupla sertaneja com o irmão", conta.

O cineasta já dirigiu Rolando em dois filmes, e agora assina o documentário onde ele é o homenageado. "Boldrin é meu ator exclusivo. Ou quase. Está como um dos protagonistas em dois de meus filmes mais ambiciosos: o tenso Doramundo (1978) e o épico O Tronco (1998). Não por acaso, os dois filmes foram superpremiados, inclusive com os prêmios de melhor ator", relembra Andrade.

Após alguns anos longe do audiovisual, João Batista retorna com Eu, a Viola e Deus, na TV Cultura, local que já trabalhou entre os anos 1972 e 1974, como diretor de Especiais no programa diário Hora da Notícia, junto com os saudosos Fernando Pacheco Jordão e Vladimir Herzog. "A alegria maior, além do próprio Boldrin, foi retornar à TV Cultura como cineasta, depois de quase 40 anos", diz o diretor.

Segundo ele, o documentário Eu, a Viola e Deus é muito importante como retrato da realidade social e cultural do Brasil. "Cumpre um papel crítico e de memória", comenta João Andrade.

Eu, A Viola e Deus conta com os depoimentos de diversas figuras que fazem parte da trajetória de Boldrin, como Patricia Maia Boldrin, Rosa Maria Boldrin e Adilson Boldrin, esposa, irmã e sobrinho do apresentador; dos amigos Aldo Pedersoli e Francisco Zeleskinar (Chiquinho); do sanfoneiro José Clovis Franco (Orelha); e do barbeiro Alfredo Gaspar dos Santos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NICKELODEON ESTREIA SPYDERS

Formula E

Pode preparar a pipoca!