De volta ao desvio: Inhotim reabre a icônica obra de Cildo Meireles


"Desvio para o vermelho I, II e III", de Cildo, reabre para visitação a partir de 16 de fevereiro 
 

Cildo Meireles, Desvio para o Vermelho I, II e II (1967 -- 1984), no Inhotim. Foto:Brendon Campos
Clique aqui para acessar outras imagens

  

Uma das obras mais icônicas do Inhotim está de volta! Desvio para o Vermelho I, II e II (1967 -- 1984), do artista Cildo Meireles, acaba de reabrir para visitação após um processo de nova pintura do mobiliário e das paredes, higienização de obras e objetos, e substituição de carpete e forro.
 

Processo de conservação e remontagem obra Desvio para o Vermelho I, II e II (1967 -- 1984), de Cildo Meireles, no Inhotim. Foto:Brendon Campos
Clique aqui para acessar outras imagens

"Fechada desde o início da pandemia, a obra passou por um processo de conservação e restauro feito por uma equipe de cerca de 20 profissionais, entre conservadores e restauradores, técnicos de produção e assistentes de produção artística e montagem, pedreiros, produtores artísticos e eletricistas. Para além dos reparos, também houve reposição e troca de alimentos da geladeira da sala da obra, como frutas e gelatinas", conta Bruna Oliveira, coordenadora da área técnica do Inhotim.

O título da obra faz referência ao fenômeno físico "desvio para o vermelho", um caso particular do Efeito Doppler, que indica a cor vermelha como frequência de ondas de luz percebida pelo observador quando os corpos celestes se afastam.
 

Para quem ainda não conhece, o trabalho é estruturado em três ambientes articulados. O primeiro deles, nomeado (Impregnação), reúne uma coleção de móveis, objetos e obras de arte em tons de vermelho, organizados em uma sala. A saturação monocromática do primeiro ambiente contrasta com a penumbra do segundo, (Entorno), no qual o público pode observar uma pequena garrafa caída no chão, cujo líquido vermelho derramado produz uma grande mancha no espaço. Este caminho do líquido conduz o público a uma sala totalmente escura, (Desvio), onde o passeio é guiado pelo som de água corrente. A escuridão é quebrada apenas por uma pia deslocada, por onde sai uma água vermelha que cria a sonoridade do ambiente.
 

FUNCIONAMENTO 

O Instituto Inhotim está funcionando de quarta-feira a domingo e em feriados, com capacidade para mil visitantes por dia. A entrada é gratuita em toda última sexta-feira do mês, exceto em feriados, com o mesmo limite de público. A compra e retirada de ingresso é realizada exclusivamente online e com antecedência, pela Sympla, tiqueteira oficial do Inhotim. Em função dos protocolos de saúde, vale lembrar que não está sendo feita operação de venda de entradas na bilheteria do parque.  

O uso obrigatório de máscara, por funcionários e visitantes, displays de álcool em gel distribuídos pelo Instituto e distanciamento entre as mesas nos pontos de alimentação, seguem em vigência. 
 

O Inhotim pede, também, que os visitantes apresentem comprovante de, no mínimo, duas doses da vacina contra COVID-19, em reforço aos protocolos de segurança adotados para a pandemia. A medida é válida para visitantes a partir de 12 anos de idade, que devem apresentar cartão de vacina (físico ou foto), certificado de vacinação ou comprovante gerado pelo aplicativo ConectSUS, junto a documento com foto na entrada do Instituto.
 

O Instituto avalia diariamente o cenário da pandemia na região e atua sempre em consonância com as decisões estabelecidas pelos órgãos de saúde. Todas as orientações sobre como chegar ao Inhotim, compra de ingressos, os protocolos adotados e regras de visitação estão disponíveis no site da instituição.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NICKELODEON ESTREIA SPYDERS

Formula E

Pode preparar a pipoca!