History estreia a 5ª temporada de Desafio Sob Fogo Brasil e América Latina, a competição mais afiada da TV

HISTORY


Três brasileiros, de São Paulo, Paraná e Paraíba, participam desta edição

Com a volta do ator Michel Brown na apresentação e um novo jurado, a produção
coloca à prova oito especialistas em forja da Argentina, Brasil, Colômbia e México

Um episódio extra inaugura a competição Grande Desafio de Campeões, reunindo
os vencedores das edições anteriores


ESTREIA: 14/7, quinta-feira, 23h05


Faíscas, fumaça, fogo e muita ação! Essas são as palavras mágicas de boas-vindas para o programa mais afiado da América Latina. Entre marteladas, retificações e têmperas, toma forma a quinta temporada de Desafio Sob Fogo Brasil e América Latina, um sucesso do History, que estreia no dia 14 de julho.

Nesta nova temporada, há um novo rosto no júri. O mexicano especialista em artes marciais Gerardo "Jerry" Arrechea se junta ao experiente forjador argentino Mariano Gugliotta, ao brasileiro Ricardo Vilar e ao amado juiz de Desafio Sobre Fogo, o filipino Doug Marcaida. Outra novidade é o ator argentino radicado no México Michel Brown (HernánPasión de Gavilanes), que volta à apresentação da série, depois de sua participação na terceira edição da competição.

Entre marteladas, bate-estacas, bórax e têmperas múltiplas, a oficina mais famosa do continente volta a abrir suas portas para receber oito participantes de quatro nacionalidades, separados em dois grupos, que disputarão um prêmio de dez mil dólares e o título de Melhor Forjador da América Latina. O primeiro é composto por Gerson Bragagnoli (Brasil), 66 anos, forjador há 16 anos; Gustavo Cervantes (México), da cidade de Puebla, com três anos de experiência em cutelaria; o carismático Agustín Peppi, de Mendoza (Argentina), que há onze anos se dedica em tempo integral à forja; e Marco López (México), forjador também em tempo integral com cinco anos de experiência.

No segundo grupo, Sandra Soma (Argentina), 55 anos, forjadora há quatro anos; Juan Sebastián Gaviria (Colômbia), escritor e romancista apaixonado pela natureza e pela forja; Roger Glasser (Brasil), que foi aluno do juiz Ricardo Vilar e forja desde os 13 anos; e Marcio Madalosso (Brasil), 47 anos, forjador há 30 anos, sendo 15 como profissional.

Outra novidade nesta edição é o episódio extra Grande Desafio de Campeões, assim que terminar a temporada regular do programa, que reunirá os vencedores de todas as edições anteriores, em uma nova competição. Os brasileiros Tom Silva, Daniel Jobim e Sandro Boeck, campeões da primeira, segunda e terceira temporadas respectivamente; o argentino Facundo Fadón, vencedor da quarta temporada; e o vencedor desta quinta edição concorrerão a um prêmio adicional de 10 mil dólares e o Prêmio Campeão dos Campeões América Latina.

"Estamos celebrando a quinta temporada de Desafio Sobre Fogo Brasil e América Latina, que é um exemplo perfeito da composição de nossa audiência, formada por homens e mulheres que buscam o melhor entretenimento. E também procuram um componente histórico que se encontra perfeitamente nesta produção, uma vez que em cada episódio contamos a história de cada uma dessas ferramentas ou armas, e a história da civilização humana, por meio das armas", explica Miguel Brailovsky, vice-presidente Sênior de Conteúdo do History. E acrescenta: "Esta é uma competição que expõe a arte, maestria, engenhosidade, criatividade e profissionalismo dos diferentes latino-americanos que hoje descobriram ou redescobriram a forja e a cutelaria, seja como ofício ou hobby , e que está ganhando mais seguidores em toda a América Latina".

A configuração do programa permanece a mesma das edições anteriores. Oito participantes divididos em dois grupos de quatro integrantes. O vencedor de cada desafio soma 100 pontos, o segundo 75, o terceiro 50 e o quarto não pontua. Os últimos de cada grupo são eliminados, enquanto o segundo e o terceiro vão para a repescagem. Apenas o melhor poderá ser coroado com o título de campeão e ganhar o prêmio de 10 mil dólares.

Diferente das temporadas, esta edição de Desafio Sob Fogo Brasil e América Latina incluirá uma série de celebridades que participarão como jurados convidados. No primeiro episódio, quem marca presença é o filho de Octagón (famoso lutador mexicano) que deve avaliar uma faca inspirada na luta livre mexicana. A referida arma terá que incluir uma maçaneta de quebra de vidro e, para isso, os participantes terão que extrair alguns materiais de parte de um ringue de luta e cinturões de campeão, semelhantes aos recebidos pelos vencedores. Esta temporada da competição é a mais engenhosa quando se trata de propor atividades relacionadas às armas que são fabricadas, júri e cenários. Os testes de dureza, penetração e resistência demonstram a versatilidade e originalidade dos desafios.

Desafio Sob Fogo Brasil e América Latina é uma produção da Nippur Media para o The History Channel América Latina.

 

PARTICIPANTES BRASILEIROS

Gerson Bragagnoli, 66 anos, nasceu em Americana - SP e vive na cidade paraibana de Campina Grande há 42 anos. Bacharel em Ciências Biológicas, mudou-se em 1980 para o Nordeste para lecionar em uma universidade. O interesse pela cutelaria surgiu pela necessidade de ter facas boas para caça, de animais permitidos, na região. Autodidata, produziu as primeiras peças com tutoriais da Internet e decidiu se aperfeiçoar em um curso na Universidade de Brasília, em 2006, quando lhe propuseram levar o curso de extensão para a universidade de Campina Grande. Gerson foi indicado para a seleção do programa pelo cuteleiro Leandro Pazini, depois de fazer um curso com ele em 2021. Atualmente se dedica a dar cursos em sua oficina e à fotografia da natureza. "Eu gosto muito de produzir as facas Hunter e Canária, mas vou me dedicar à Peixeira, bonita e muito popular no Nordeste, mas considerada marginalizada".

Márcio Alberto Madalosso, 48 anos, reside na cidade de Dois Vizinhos, no Sudoeste do Paraná. Sua inspiração para seguir na profissão foi seu pai, também cuteleiro. Na década de 90 não havia bom fornecedor de forja na região e Márcio iniciou suas pesquisas sobre o processo de cutelaria para começar a produzir suas facas, artesanalmente. Há quase 30 anos esta tornou-se sua principal ocupação, sendo em tempo integral desde 2011. Ele sequer sabe quem o indicou para participar dos testes para a série. Já atendeu a mais de três mil clientes, do mundo inteiro, e sua propaganda é o boca a boca.  "Eu amo o meu trabalho, totalmente artesanal, e não existe limite para a minha imaginação, faço qualquer tipo de faca com qualquer tipo de material", afirma o cuteleiro, que em breve irá tatuar o logo do History e do Desafio Sob Fogo em sua pele.

Roger Glasser, 44 anos, vive em São Paulo junto de seu companheiro, com quem está casado há oito anos. Começou a se dedicar à cutelaria como hobby, a partir de 2007, quando fez um curso com Ricardo Vilar e, em 2012, realizou o primeiro evento anual do setor: a Mostra Internacional de Cutelaria (o segundo maior do mundo em quantidade de expositores). Apesar de a cutelaria estar associada ao universo predominantemente masculino, Roger afirma que nunca se sentiu excluído desse meio. "Ainda existe preconceito com mulheres e gays, mas está mudando com o tempo. Para os cuteleiros, o importante é o trabalho que se apresenta, independentemente de gênero, idade e raça". Neste ano, Roger foi eleito "O Forjador History", em uma votação aberta pela Internet, o que lhe permitiu voltar para a nova temporada.

                                                       
SOBRE MICHEL BROWN

Michel Brown (46) é um ator e cantor argentino, radicado no México e casado com a atriz colombiana Margarita Muñoz. Começou sua carreira artística em 1993 no programa de televisão argentino "Jugate conmigo". Mais tarde, participou de novelas argentinas, mexicanas e colombianas. Seu sucesso na telenovela colombiana "Pasión de gavilanes" (2003) foi tal que, em uma turnê promocional na Espanha, permaneceu por vários meses naquele país. Em 2008, participou na série de televisão espanhola "Física ou Química", fez parte das produções "Mentes en shock" (2010), "Mentiras perfectas" (2013), "Mr. Ávila" (2016-2018), "La querida del centauro" (2016-2017) e estrelou as séries "Falco" (2018), "Cecilia" (2021) e "Pálpito" (2022).

Como apresentador, Brown se destacou na condução do reality show norte-americano "Desafío: La Gran Batalla" (2010) e " Estoy por ti " (2006), programa de televisão da rede Antena. Foi apresentador da terceira edição do "Desafio Sobre Fogo Brasil e América Latina" e está de volta ao HISTORY para apresentar este quinto ano da competição.

SOBRE OS JURADOS 

DOUG MARCAIDA

Nascido nas Filipinas, Doug Marcaida é um especialista em combate corpo a corpo e projeta algumas das armas brancas mais mortais do mundo. Doug é um profissional de artes marciais altamente treinado, estudou técnicas e estilos de luta em todo o mundo. Do combate corpo a corpo à estratégia militar, Doug é uma enciclopédia viva sobre a evolução das armas de guerra.
Como juiz em DESAFIO SOB FOGO norte-americano por nove temporadas, Doug fornece uma perspectiva inigualável sobre o estilo de luta das armas da série, para que foram projetadas e como foram usadas; e também testará as que são fabricadas na competição. Sua frase "É LETAL", muito usada na série, viralizou em todas as redes sociais.

MARIANO GUGLIOTTA

Mariano Gugliotta é um forjador argentino, especialista em facas, espadas e aço de Damasco. Ele foi o primeiro latino-americano a passar no teste de corte e dobra da American Bladsemite Society. Além disso, possui artigos publicados nas principais revistas internacionais de cutelaria, como Tactical Knives e Trofeo de España. E no livro Top 500 Knives in the World, ficou no top 100. Ele é membro do júri do "Desafio Sob Fogo Brasil e América Latina" desde a primeira edição da competição.
Mariano pratica artes marciais desde os oito anos de idade. Esgrima e arremesso de facas são suas especialidades. Criado em um ambiente cercado de armas, seu avô e seu pai eram forjadores da velha guarda, ele começou a es interessar pela arte ainda criança, primeiro como um hobby e há quase 20 anos profissionalmente. Hoje suas facas são requisitadas em todo o mundo e ele é reconhecido local e internacionalmente.
Ele foi o campeão argentino de corte com faca por três anos consecutivos. Há uma década é presidente do júri da feira anual de cutelaria na Argentina. Atualmente é membro do júri do campeonato realizado no noroeste da Argentina e conselheiro do governo da cidade de Buenos Aires e membro do júri de um concurso de cutelaria patrocinado pela UNESCO.
Começou a praticar artes marciais aos oito anos de idade no kobudo karate com armas, depois treinou Aikido e esgrima com faca. Além disso, ele é um grande estudioso da Idade Média.

RICARDO VILAR

Ricardo Vilar é um forjador com mais de 35 anos de experiência no ramo. Nascido em São Paulo, capital, Ricardo reside no Arkansas, EUA, desde 2017.
Ele é um especialista na história de armas brancas e em forja. Tornou-se um Journeyman licenciado da American Bladesmith Society em 2005. Vilar foi presidente da SBC - Sociedade Brasileira dos cuteleiros de 2003 a 2008. Ele confundou uma escola de cutelaria em colaboração com a Universidade de Brasília, e foi convidado pela Universidade de Texas em 2005 para ser instrutor de estilo brasileiro na Hammer-in Fall.
Em 2011, uma de suas facas foi adotada como oficial da Brigada Brasileira de Paraquedistas. Desde então, também é responsável pela produção de uma arma para uso exclusivo da elite do exército brasileiro, restrita a militares especializados do Centro de Treinamento de Guerra na Selva.
Atualmente, ele é instrutor na Universidade de Arkansas Hope-Texarkana, parte da equipe que oferece o Certificado de Competência em Forjamento.
Alguns de seus prêmios recentes incluem Best Field Knife IV, Best Tactical Knife IV, Best Industrial Knife IV e Best Bush Craft Knife IV no International Cutlery Show de 2015.

GERARDO "JERRY" ARRECHEA

Gerardo "Jerry" Arrechea tem 40 anos de prática nas Artes Marciais. Ele é o fundador e diretor da Top Dragon Martial Arts, uma academia sediada na Cidade do México, cuja missão é transmitir a prática e a filosofia das artes marciais. Seu pai era judoca e o apresentou a essa prática ainda na infância e seu grande mestre foi o Mestre Richard Bustillo, discípulo direto de Bruce Lee. Em 1988, Arrechea iniciou a prática de armas conhecidas como eskrima filipina: um sistema que enfatiza o uso de paus, facas e espadas.

Alguns de seus reconhecimentos mais importantes incluem: Faixa Preta 1º. Dan em Tae Kwon Do, Bodhidharma TKD, Enrique De Los Rios, 1994; Faixa Preta 1º. Dan no Judô, Judansha Kai, 1990; Instrutor Mestre de Muay Thai, 2001, Kru Vut Kamnark FortLauderdale Florida; Instrutor Mestre em Jeet Kune Do, Richard Bustillo, 2014, Los Angeles, CA; Faixa Preta 9º grau em Artes Marciais Filipinas, Chuck Cañete, 2018, Cebu City: Salão da Fama de CDP Cebu City Filipinas 2009, 2012 e 2014; Hall da Fama das Artes Marciais dos Estados Unidos 2010; Campeão nacional de Jiujitsu Brasileiro '03, Muay Thai '99, MMA '04 e Stick-fighting '96, '98, '00 e '12; Campeão Mundial de Stick-fighting de 2014, Cebu City, Filipinas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NICKELODEON ESTREIA SPYDERS

GloboNews promove Festival #ConverseComOutrasIdeias

Formula E