Documentário sobre Nelson Pereira dos Santos concorre a prêmio no Festival de Cannes

GLOBONEWS

Coprodução da GloboNews, Globo Filmes e Canal Brasil, 'Nelson Pereira dos Santos – Vida de Cinema' será exibido na mostra Cannes Classics nesta sexta-feira, dia 19

Ao longo de seis décadas, o cinema de Nelson Pereira dos Santos projetou o Brasil aos olhos do mundo. Na próxima sexta-feira, dia 19, o documentário sobre a vida e obra do cineasta, produzido pela MP2 Produções, em parceria com a GloboNews, Globo Filmes e Canal Brasil, será exibido no Festival de Cannes, na França. 'Nelson Pereira dos Santos – Vida de Cinema' concorre ao prêmio L'Œil D'or na Seção Cannes Classics, categoria destinada a produções que falem sobre o setor, criada em 2004 para valorizar o importante e crescente trabalho de organizações que protegem a memória do cinema. A exibição do filme em Cannes será na sexta, dia 19, às 17h (22h no horário de Brasília). 
 
Dirigido por Aída Marques e Ivelise Ferreira, viúva do cineasta que morreu em 2018, o longa será lançado no Brasil no segundo semestre. Segundo Aída e Ivelise, o documentário exibe características marcantes de Nelson como cineasta, produtor e professor. "Como cineasta, ele sempre foi um pensador do Brasil. 'Vidas Secas', um dos filmes nacionais mais premiados de todos os tempos, é uma obra prima", diz Aída. "Nelson é considerado o pai do Cinema Novo; ele era o mais velho da turma de jovens cineastas que transformaram o modo de fazer cinema no país", completa Ivelise. 
 
'Nelson Pereira dos Santos – Vida de Cinema' é narrado na primeira pessoa. Nelson fala da sua vida pessoal, do seu processo criativo e também do sucesso que obteve ao longo de 60 anos de carreira. Mais de 80 horas de gravações de arquivo foram reunidas para a seleção de imagens, filmes e entrevistas dele. A trilha sonora criada especialmente para o longa traz referências de Villa Lobos e Tom Jobim, dois de seus compositores brasileiros preferidos.  
 
Parceria  
 
A Globo Filmes e a GloboNews assinam juntas a coprodução de mais de 100 documentários. São projetos artisticamente contundentes, diversos, atuais e que geram debates essenciais para a sociedade brasileira. Com linguagens e olhares que atravessam tempos e fronteiras, a parceria já alcançou mais de 15 milhões de pessoas em audiência e esteve em mais de 300 festivais no Brasil e no mundo, como Cannes, Hot Docs e IDFA, maior festival de documentários do mundo. E ganhou prêmios em Veneza, na Berlinale e no É Tudo Verdade (ÉTV), maior festival de documentários do Brasil, que habilita o filme para o Oscar. 
  
Alguns destaques: 'Sinfonia de um homem comum', de José Joffily (único brasileiro na mostra Frontlight do IDFA 2022; exibido no Hot Docs e Menção Honrosa do ÉTV 2022); 'Marinheiro das Montanhas', de Karim Aïnouz; 'Espero tua (Re)volta', de Eliza Capai (vencedor de dois prêmios no Festival de Berlim 2019); 'Menino 23', de Belisário Franca (pré-lista do Oscar 2017); 'Babenco - Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou', de Bárbara Paz (melhor documentário sobre cinema da Venice Classics no Festival de Veneza 2019); 'Libelu – Abaixo a Ditadura', de Diógenes Muniz (vencedor ÉTV 2020); e 'Cine Marrocos', de Ricardo Calil (vencedor do ÉTV 2019). 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SexPrivé Club: Nova apresentadora

Cine Gloob apresenta mais de 40 filmes no mês de Maio

2024